Servidores da Justiça Federal param no Dia Nacional de Luta no Piauí e na Bahia


Os servidores da Justiça Federal do Piauí paralisarão as atividades por uma hora, amanhã, 02 de junho. A decisão foi tomada na assembléia geral do Sintrajufe/PI. O protesto faz parte da mobilização do Dia Nacional de Luta, organizado pelos servidores públicos federais em todo país, como forma de pressionar o governo federal a negociar a reposição salarial. Os servidores reivindicam reposição emergencial de 18%.
O Sintrajufe realizará as atividades do dia 2 de junho na sede da Justiça Federal, mas os servidores dos demais órgãos do judiciário federal no Piauí, como TRE e TRT, também estarão mobilizados. “Serão colocadas faixas de protestos em todos os órgãos e distribuídos adesivos convocando os funcionários à participar da Campanha Salarial 2005”, destacou Madalena Nunes, diretora do Sintrajufe.
De acordo com Madalena, somente uma grande mobilização poderá reverter a posição do governo Lula e garantir uma proposta que restabeleça a política salarial com reposição anual dos salários. “Nesse momento o que temos é um deboche de 0,1% que ao mesmo tempo em que deixa a categoria indignada, coloca a necessidade de reação e resistência. Somos chamados a mobilizar 100% e barrar a política de reajuste zero”, afirma a diretora.

Assembléia geral do Sindjufe/BA decide realizar paralisação

Na assembléia geral dos servidores do Judiciário Federal na Bahia, organizada pelo Sindjufe/BA, foram eleitos os delegados que participarão da XII Plenária Nacional da Fenajufe. A categoria também definiu que no dia 2 de junho os servidores realizarão mobilização e paralisação.

Quadro de atividades na Bahia:

– Paralisação de 24 horas na Justiça do Trabalho, com assembléia às 08h30, na frente dos prédios das Varas.

– Atividade conjunta no bairro do Comércio, em frente ao prédio do INSS com a presença de outras categorias em greve e em processo de mobilização.

– Assembléia setorial na Justiça Federal, às 13h.

– Assembléia setorial na Justiça Eleitoral, 15h.

Fonte: Sindjufe/BA e Sindjufe/PI