Pesquisa diz que 70% são contra novas privatizações


Para 70% dos brasileiros, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica e a Petrobras devem continuar como estatais. Durante a campanha o candidato-presidente Luiz Inácio Lula da Silva propalou que, se eleito, Alckmin iria privatizar as grandes empresas que remanescem sob controle do Estado. Os números são de pesquisa A Economia e a Eleição 2006 feita pelo Ipespe — Instituto de Pesquisa Sociais, Políticas e Econômicas.
A mesma pesquisa mostra que o Lula tem 60% dos votos válidos contra 40% do tucano Geraldo Alckmin. Considerando o total de votos, Lula tem 52% e Alckmin 34%. Além da disposição de voto dos eleitores, a pesquisa aferiu também idéias e sentimentos dos entrevistados a respeito de temas econômicos como a privatização, situação econômica pessoal e comparação da política econômica dos governos FHC e Lula.

Privatização

As opiniões sobre privatização estão bem distribuídas. Quase metade dos brasileiros ouvidos (45%) consideram negativas as privatizações das estatais feitas no governo FHC. Mas a quantidade dos que as considera positivas não é pequena: 33%. Para 8% as privatizações não foram positivas nem negativas e 14% não responderam.
Quando questionados sobre a possibilidade de privatização da Caixa Econômica Federal, do Banco do Brasil e da Petrobras o número dos que são contra cresce: 70% não querem a privatização das estatais que sobraram. Apenas 18% são a favor da privatização. Entre os eleitores de Lula a desaprovação à privatização é de 72%. Entre os eleitores de Alckmin, a taxa de desaprovação é de 70%.

FHC x Lula

Na comparação da economia nos governos de Fernando Henrique Cardoso e de Luiz Inácio Lula da Silva, o petista sai ganhando. 66% acreditam que a situação melhorou com o petista. A mesma sensação se registra em termos pessoais. Para 55% dos brasileiros, a situação financeira pessoal melhorou nos últimos quatro anos, enquanto 15% disseram que as suas economias pioraram.

Pobreza x corrupção

A pesquisa constatou estatisticamente o que se pode perceber empiricamente: 53% dos eleitores de Lula vão votar no petista em consideração aos programas sociais e à ajuda aos pobres dadas por seu governo; enquanto isso, 50% dos eleitores de Alckmin votam nele por sua pregação contra a corrupção.

Informação

No momento de decidir o voto, 43% dos entrevistados confessaram que o fator que mais os influenciou foram os debates entre os candidatos na televisão. Apenas 19% disseram que usaram jornais e revistas para se informar sobre os candidatos. Lula pode até não se eleger, mas é hoje uma figura conhecida nacionalmente: 66% dos eleitores dizem que agora o conhecem melhor.
Pelas estatísticas, 12% dos entrevistados ainda podem mudar de idéia na hora de digitar os números na urna eletrônica.
A pesquisa do Ipespe ouviu, por telefone, 1 mil pessoas em todo o país, no dia 24 de outubro. A margem de erro é de 3,2 pontos para mais ou para menos. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob o número de protocolo 23337/2006.

Fonte: Consultor Jurídico