Assembléia do TRT decide tomar caminhos político e jurídico contra desconto


Após várias manifestações de protesto dos servidores reunidos em assembléia, nesta terça, 24/07, pelo fato de o TRT ter descontado dos salários, sem o prévio aviso, parcelas recebidas de boa-fé em função de erros do próprio Tribunal, foi decido ajuizar ação buscando obter a devolução dos valores, pedindo ainda indenização a título de danos materiais. Também foi decidido atuar politicamente junto à Presidência para que esses valores sejam devolvidos às contas dos interessados e que, se descontados, seja mediante o parcelamento do total, de modo a não onerar os servidores.
Foi lembrado, ainda, que o Tribunal é devedor de vários passivos, como os atrasados de quintos, GAS, adicionais de qualificação, reenquadramento, auxílio-creche, e não dá nenhum sinal de quando vai pagá-los, mas é muito rápida para descontar sem o devido aviso para que os servidores pudessem se programar. Ato contínuo, foi marcada uma reunião na Presidência para as 15h15min desta terça e eleita comissão em assembléia para representar os servidores.
Participaram da reunião os membros da diretoria do Sintrajusc Adriana, Robak, Denise e o servidor Éder, representante dos atingidos, bem como, a presidente em exercício, juíza Licélia Ribeiro, que ouviu os membros da comissão, dizendo que não dispunha dos dados relativos aos descontos. A presidente em exercício comprometeu-se a verificar junto aos setores da Administração os motivos para o desconto e os procedimentos adotados, além de fazer contato com o presidente, juiz Jorge Luiz Volpato, no decorrer desta semana, para que seja tomada decisão quanto aos pedidos de devolução e parcelamento dos valores.
Na mesma reunião, os membros da comissão alertaram para as condições técnicas inadequadas enfrentadas pela área administrativa e que resultam em sucessivos erros e na indignação dos servidores, situação essa que pode e deve ser revertida pela Administração.