Servidores das universidades federais fazem protestos em Brasília


Com mais de 54 dias em greve, os servidores técnico-administrativos das universidades federais intensificam a luta pelo eixo geral e também pelo eixo específico da Fasubra Sindical (Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras), com a chegada de mais de 2 mil trabalhadores nesta quarta e quinta-feira (25 e 26/07), em Brasília. Conforme deliberação de Plenária Nacional da Fasubra, realizada nos dias 4 e 5 de maio deste ano, foi aprovada a vida, como atividade da greve, de caravanas para Brasília.
O Comando Nacional de Greve da entidade, depois de fazer uma avaliação do movimento grevista, dos desafios apresentados pela conjuntura e da necessidade de mobilização de toda a categoria, reafirmou, no último dia 16 de julho, os dias 25 e 26/07 para a vinda das caravanas, com realização de atos públicos.
Nas atividades, os servidores vão protestar contra a transformação dos Hospitais Universitários em Fundação Estatal de Direito Privado e, também, pressionar o governo para agilizar o processo de negociação em torno dos eixos da greve.
Segundo informações da Fasubra, estão confirmados mais de 1.800 manifestantes. Serão realizados atos, panfletagem e marchas na Esplanada dos Ministérios, especialmente nos Ministérios do Planejamento, da Educação e da Saúde.
As marchas têm como finalidade entregar, no Ministério da Educação (MEC) e Ministério da Saúde (MS), os Abaixo-Assinados em Defesa dos Hospitais Universitários. Em frente ao MEC e ao Ministério da Saúde será realizado um ato contra a transformação dos Hospitais Universitários em Fundação Estatal de Direito Privado. E em frente ao Ministério do Planejamento será realizado um ato exigindo agilidade nas negociações. A Fasubra informa, ainda, que hoje, 25 de julho, a partir das 19h, acontecerá uma nova reunião de negociação com o MPOG, MEC e Comando Nacional de Greve.

Fonte: Fenajufe, com Fasubra e Agência CUT