Servidores do interior devem vir em caravanas para o Ato Público dia 10


É grande o ânimo dos servidores na preparação do Ato Público que acontece na quarta-feira, dia 10 de setembro, às 15 horas, em Frente à Justiça Federal em Florianópolis, em defesa da independência e da autonomia do Poder Judiciário. 
Para garantir a presença dos colegas do interior, a diretoria do Sintrajusc orienta que sejam organizadas caravanas vindas de diferentes cidades com destino à Capital. 
Nestas segunda e terça-feira, 8 e 9 de setembro, o coordenador do Sintrajusc Paulo Koinski viaja para o sul do Estado para reforçar o convite aos companheiros para a manifestação que deve cobrar, tanto do Governo Federal como do presidente do Supremos Tribunal Federal Ricardo Lewandowski, um acordo que garanta a reposição salarial da categoria. 
Servidores de outras cidades interessados em participar podem entrar em contato com o Sindicato por meio de correio eletrônico (administrativo@sintrajusc.org.br) ou do telefone nº (48) 3222.4668. 
 
Presidente da Ajufesc solidário à luta 
Ainda na sexta-feira, dirigentes do Sintrajusc acompanhados do Comando de Greve visitaram o gabinete do presidente da Associação dos Juízes Federais do Estado de SC (Ajufesc), Dr.Nelson Ribeiro Alves, e também o Gabinete da Diretora do Foro da Sub Seção Judiciária de Santa Catarina, Dra. Luísa Hickel Gamba, com o propósito de convidar os magistrados a participarem da manifestação, já que a independência e a autonomia dos Poderes – e nesse caso do Judiciário- interessa a todos, assim como o corte proposto pelo Executivo no orçamento previsto para o setor para 2015 é repudiado por servidores e também juízes. 
O presidente da Ajufesc se colocou  solidário à reivindicação da categoria e, como estará em viagem no dia 10, se comprometeu a repassar o convite aos colegas.  Nelson confirmou que os juízes vão parar as atividades dia 16, em repúdio à negativa -pelo terceiro ano seguido-, sobre a previsão orçamentária. Disse também que estão consultando os magistrados sobre a possibilidade de não exercerem algumas atividades administrativas que não são remuneradas atualmente, caso as reivindicações não sejam atendidas, como: diretor de foro, coordenador de centros de reconciliação, entre outras. 
 
FALA, SERVIDOR!

Servidores querem sensibilidade, respeito e valorização 

 
Jesaías Pinheiro de Oliveira, há 22 anos trabalhador na Justiça Federal, está confiante na luta desde o primeiro dia de greve. Para ele é importante a presença de todos os colegas no Ato, dia 10 e afirma que essa é uma luta justa: “- A gente quer uma reposição salarial diante de uma política inflacionária que corroi nosso salário, precisamos dar dignidade à nossa família”, diz, e continua: “-Gostaria que o Governo e o Judiciário tivessem sensibilidade, respeito e dessem valorização para uma carreira pública que é bem importante para o país”