Reforma sindical foi polêmica mais intensa da plenária final do V Congrejufe


Por Marcela Cornelli

A resolução final sobre a reforma sindical provocou intenso debate na plenária final do V Congresso da FENAJUFE, no domingo, dia 2. O texto aprovado, que defende a inclusão de pontos indispensáveis na reforma sindical, enumera condições para que a proposta possa ser aceita, defende a unidade do movimento sindical em torno do assunto e um maior debate sobre o tema.

“Algumas questões devem ser definidas previamente e constar obrigatoriamente do projeto a ser encaminhado pelo governo ao Congresso Nacional. Destacam-se, em primeiro lugar, a garantia de constituição de organizações de base, com estabilidade. Sem isto, a reforma torna-se inaceitável. É também necessário ratificar a Convenção 158 da OIT, que protege o empregado contra demissão imotivada”, diz o parágrafo inicial da resolução vencedora.

Foram levadas ao plenário, vindas dos grupos, três propostas sobre o tema. Após as defesas, duas delas, contrárias ao texto que acabou aprovado, foram aglutinadas. As defesas intercaladas, e a aglutinação das duas propostas, esquentaram o clima no plenário.

“Quando a gente faz consenso com um enorme número de entidades de trabalhadores que sempre foram pelegas, com os patrões e com o governo não poderia sair nada melhor”, disse a diretora do SINTRAJUSC, delegada do V Congresso, Lúcia Haygert.

Na votação após a série de defesas, a resolução aprovada teve 142 votos contra 125 dados à outra.

Fonte: FENAJUFE