Plenária da Cnesf aprova 23 de maio como Dia Nacional de Lutas contra Retirada de Direitos


Servidores públicos federais (SPFs) de diversas categorias aprovaram o plano de lutas para este ano, além dos eixos que deverão servir como referência para as mobilizações em todo o País durante o mês de maio. A Plenária da Coordenação Nacional das Entidades de Servidores Federais (Cnesf) aconteceu no dia 5 de maio, sábado, em Brasília. Quase 300 servidores, entre delegados e observadores, participaram das discussões. Ao final, os servidores aprovaram calendário de lutas para este mês, que fixa 23 de maio como Dia Nacional de Lutas contra a retirada de direitos.
Os servidores também definiram os principais eixos de lutas: contra as reformas e a política econômica do governo Lula; contra o Projeto de Lei Complementar 01/07, incluído no PAC e que congela os salários dos servidores até 2016; contra a restrição do direito de greve dos servidores públicos; pela volta da ascensão funcional; e contra a Emenda 3 (pela manutenção do veto do presidente Lula), pela revogação do Super-Simples e da Super-Receita. O calendário aprovado pela plenária indica greves e paralisações em todo o País no dia 23 de maio, instalação do Comando Nacional de Greve a partir desta data e construção de movimento nacional para deflagração de greve unificada dos SPFs a partir da primeira quinzena de junho. A plenária reafirmou a unidade da luta dos SPFs e o apoio de todas as categorias às greves da Condsef, a partir de 21 de maio, e da Fasubra, a partir de 28 de maio.