Maior indiciamento por tortura atinge governo de Geraldo Alckmin


O maior indiciamento por tortura da História do Brasil, segundo o Ministério Público, atingiu ontem (13) 10 funcionários da Fundação Estadual para o Bem-Estar do Menor (Febem), condenados por agredirem menores infratores da unidade de Parelheiros, em 2002. Dezesseis funcionários estão presos e sete são procurados, acusados de torturar menores na unidade da Febem de Vila Maria, na Zona Norte da capital paulista. A operação pega de jeito a administração do governador Geraldo Alckmin (PSDB).
Segundo o promotor Afonso Presti, responsável tanto pela ação já julgada como pelo acompanhamento das investigações de torturas na Vila Maria, pelo menos outros cem funcionários e ex-funcionários enfrentam processos semelhantes apenas na capital.
— A tortura não é um problema institucional da Febem. A direção da instituição não compactua. Mas certamente é um problema cultural — afirmou o promotor.

Fonte: Jornal O Globo e agências