Greve na JT do Paraná terá início no dia 12 de maio


A greve por tempo indeterminado na Justiça do Trabalho do Paraná começa a partir da quarta-feira, 12 de maio. É o que foi aprovado na assembleia que ocorreu no começo da tarde desta quarta-feira [05]. O Sinjutra-PR informa que em função do prazo legal de 72 horas que deve ser obedecido ao iniciar um movimento grevista, duas propostas foram colocadas em votação. A primeira sugeriu que a deflagração da greve ocorresse a partir da próxima segunda, dia 10. A outra, vitoriosa pela maioria dos votos, apontou o dia 12 para o começo da greve no Paraná.

Para Samuel Freitas de Macedo, da 5ª Vara do Trabalho, a greve é um mecanismo legítimo de pressão da categoria e, diante do contexto atual, representa a última tentativa para aprovação do PCS-4.

Opinião compactuada pelo servidor Olavo Dantas. “O que tem acontecido com o PCS? Por último não foi retirado de pauta? Então, não há dúvida quanto à necessidade da paralisação”, afirma.

Outro aspecto levantado por Samuel de Macedo foi a questão da isonomia. “Categorias que exercem funções análogas já obtiveram reajustes e da forma como está [sem revisão do PCS], além de injusto, seria ilegal os servidores do Judiciário Federal não receberam o mesmo tratamento”, disse. Ele enfatizou que a categoria deve aproveitar o momento eleitoral para também conscientizar a população da necessidade de manter um quadro qualificado de servidores no Judiciário.

Neste sentido, Carla Rovel, coordenadora do sindicato, voltou a ressaltar a tramitação do PLP 549 na Comissão do Trabalho, projeto que pode levar ao congelamento de salários por dez anos. Aprovado por unanimidade no Senado, segue atualmente na Câmara. “Precisamos informar a população que se o Judiciário perde com a implementação do projeto, a sociedade brasileira perde muito mais”, apontou Carla à assembleia. Célia Vaz, servidora aposentada e também da coordenação do Sinjutra, abordou a questão ao mencionar que se aprovada a proposta do governo, a revisão salarial estará ‘sepultada’.

Segundo o relator, deputado Luiz Carlos Busato [PTB-RS], o PLP 549 pode constar na pauta da sessão de 12 de maio, dia do início da greve dos servidores paranaenses. O sindicato informa que a diretora Célia estará em Brasília na semana que vem para acompanhar os trabalhos da Comissão.

Na avaliação de José Augusto Hammerschmidt, do Serviço de Distribuição de Araucária, cidade da região metropolitana de Curitiba, a categoria é unânime em relação à aprovação do PCS-4 e à revogação do PLP 549 e deverá aderir em peso à paralisação.

Fonte: Sinjutra-PR