Fenajufe quer debate ampliado sobre minuta de resolução que prevê reestruturação da JT


Um processo de reestruturação interna da Justiça do Trabalho discutido em forma de minuta de resolução, ainda em nível do Conselho Superior do ramo (CSJT), tem causado muita preocupação e apreensão a servidores da Trabalhista em todo o país. E não é para menos: na avaliação de servidoras e servidores da JT, a redução de despesas através do autoflagelo como intenciona o CSJT pode trazer prejuízos imponderáveis ao ramo.

Preocupada com as consequências que uma resolução talhada nos moldes como tem sido a discussão dessa, a Fenajufe tem monitorado a questão e já se adiantou junto ao CSJT para equilibrar o debate.

Nesta semana, o coordenador Roberto Policarpo, em contato direto com o Juiz Auxiliar da Presidência do Conselho Superior da Justiça do Trabalho, Rogério Neiva Pinheiro, acertou duas reuniões entre o órgão e a Fenajufe para discutir o tema. A primeira acontece neste 18 de maio e será o momento em que a equipe responsável pela elaboração da minuta irá apresentar e explicar o conteúdo da proposta. Já a segunda reunião acontece entre os dias 7 e 10 de junho, quando a Fenajufe, após análise acurada da minuta e discussão ampla com os Sindicatos, levará posição ao Conselho, com oportunas propostas de alteração.

Policarpo também já estabeleceu contato com a atual presidente da Anamatra, a juíza Noemia Aparecida Garcia Porto, e com o presidente eleito da entidade que assume a direção em 19 de maio, o juiz Luiz Antônio Colussi. O objetivo é buscar pontos comuns na questão, para atuação conjunta da Fenajufe e da Anamatra.

Paralelamente ao debate, a Fenajufe também acionou as assessorias responsáveis para avaliação e estudos técnicos da minuta em discussão.

Luciano Beregeno, da Fenajufe