Ampliada da Fenajufe decide paralisação de 48 horas nos dias 26 e 27/4; Sintrajusc realiza assembléia estadual no dia 19


Conforme decisão da última assembléia da categoria de acompanhar o calendário de lutas definido pela reunião ampliada da Fenajufe do domingo, 9, a diretoria do Sintrajusc chama assembléia estadual para o dia 19. A intenção inicial era paralisar nesse dia. O novo calendário de lutas da Fenajufe prevê paralisação de 48 horas para os dias 26 e 27 de abril para pressionar pelo PCS. A decisão aconteceu durante a reunião ampliada da Fenajufe, em Brasília, neste domingo, 9. Participaram representantes de 16 estados. A avaliação dos delegados é de que somente com pressão serão abertas as negociações entre o Judiciário e o governo federal para que o PCS seja aprovado na Câmara dos Deputados. No dia 27, deverá ser feita uma avaliação sobre o início da greve por tempo indeterminado.
Neste momento, está havendo reunião com a presidente do STF, ministra Ellen Gracie, como parte da estratégia de pressão para a abertura das negociações. A reunião com a presidente do STF só foi possível depois que os sindicatos presentes em Brasília na semana passada fizeram uma vigília em frente ao gabinete da ministra. Os dirigentes querem da ministra o compromisso do tribunal com a negociação pela aprovação do projeto.

Mobilização

A luta dos servidores do Judiciário Federal entra na fase decisiva agora, com a necessidade de entrada determinada dos servidores na greve. Até agora, a luta foi pela aprovação do PCS nas várias instâncias por onde o projeto passou – CNJ, Comissão do Trabalho, até a Comissão de Finanças, onde o projeto de lei emperrou. Somente com ações decididas dos servidores – e a greve é a ação de maior impacto – o projeto do PCS será aprovado.
Temos de lembrar que este é ano eleitoral, e iniciativas nos gabinetes só terão resultado com os servidores em greve. Não podemos mais esperar apenas pela boa vontade dos parlamentares. Como em anos anteriores, o PCS só vai andar se o Judiciário parar.