Várias atividades marcam Dia Nacional do Idoso


Hoje (27) é o Dia Nacional do Idoso. No Brasil, o Senado Federal instituiu a data em 1999, por meio da Comissão de Educação. Além de reconhecer a data, está em vigor no país desde outubro de 2003 o Estatuto do Idoso (Lei n.º 10.741), criado com o objetivo de garantir a preservação da saúde física e mental dos maiores de 60 anos, criar prioridades no transporte público e regras para regular o funcionamento dos abrigos para idosos.
Segundo a secretária executiva do Conselho Nacional dos Direitos do Idoso, Jurilza Mendonça, a data se comemora interncionalmente no dia 1º de outubro.
Para lembrar a data, várias atividades estão sendo programadas em todo o país. A Sociedade Brasileira de Otologia lança nesta quarta-feira a terceira edição da Campanha Nacional da Saúde Auditiva. Segundo a SOB, pesquisas científicas recentes demonstram que a deficiência auditiva acomete cerca de 70% dos idosos, o que equivale a pelo menos 10 milhões de brasileiros.
Já o Conselho Regional de Farmácia do Distrito Federal (CRF-DF) promove em Brasília a campanha “É hora do remédio. O que fazer?” para orientar os idosos sobre a importância do uso correto de medicamentos. Vão ser distribuídas cartilhas sobre o tema das 8 horas às 18 horas em hospitais públicos e farmácias do Distrito Federal.
Equipes de farmacêuticos vão orientar e assistir os idosos e/ou os seus responsáveis sobre os cuidados no manuseio do medicamento, e distribuir a cartilha Cuidados no Manuseio dos Medicamentos da Pessoa Idosa com informações e orientações tanto para o idoso como para o seu responsável.
Segundo o Departamento de Prática de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), os pacientes idosos são os principais usuários de medicamentos. Mais de 80% tomam no mínimo um medicamento diariamente.
Nos últimos 20 anos a população brasileira vem envelhecendo. Segundo o IBGE o país tem hoje 15 milhões de idosos, o que corresponde a 8,6 % da população. Quase 10% (8,9%) dos idosos no Brasil são chefes de família. As projeções afirmam que essa população chegará a 25 milhões, em 2020.
Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), existem cerca de 600 milhões de pessoas acima de 60 anos em todo o mundo. Em quatro décadas esse número saltará para dois bilhões de idosos, sendo que 10% terão mais de 100 anos de idade.

Fonte: Agência Brasil