Trabalhadores são ameaçados de morte no Piauí


Por Imprensa

O Piauí registrou, nos últimos dois anos, sete mortes provenientes de conflitos de terra. Outras 14 pessoas estão sob proteção, porque estão ameaçadas de morte em oito municípios, segundo dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT). No Estado existem, hoje, nove áreas em conflitos fundiários. Cinco delas localizadas no município de Altos, a 42 km de Teresina.

Os trabalhadores vêm sendo alvo de intimidação por parte dos proprietários, que usam guardas armados e chegam a matar os animais das famílias, segundo informações do Incra. “O governo precisa intervir para evitar que novas mortes ocorram como essa que aconteceu no Pará, da irmã Dorothy Stang”, explicou o coordenador da CPT, Paulo Henrique Sousa.

Souza apresentou fotos de trabalhadores ameaçados e dos que sofreram agressões por conta das disputas. Para ele, o Incra precisa fazer a vistoria dessas áreas em conflito e realizar as desapropriações com urgência, para evitar o agravamento das disputas agrárias.

Fonte: Portal Vermelho com informações da Agência Nordeste