Pernambuco decide por greve a partir do dia 12


Servidores do Judiciário Federal em Pernambuco decidiram na quinta-feira [06] pela greve por tempo indeterminado a partir do dia 12 de maio, reforçando a greve nacional. Também foi deliberado pela maioria a realização de assembleias setoriais.

Durante todo a quinta-feira [06] a categoria paralisou as atividades em vários locais de trabalho, na capital e no interior. A paralisação de 24 horas serviu como ponta-pé inicial para o fortalecimento da mobilização em torno da greve por tempo indeterminado pela aprovação do Plano de Cargos e Salários [PCS] do Judiciário Federal [PL 6613/09].

Pouco antes de começar o ato no TRE, várias autoridades chegavam para uma cerimônia de posse de novos desembargadores, inclusive o governador do Estado, Eduardo Campos [PSB]. Diretores do Sintrajuf aproveitaram a oportunidade para pedir apoio ao PCS. O governador disse estar ciente das reivindicações dos servidores e afirmou que vai contatar o deputado federal Rodrigo Rollemberg [PSB] para solicitar que ele converse com as lideranças no Congresso para ajudar nas negociações do PL.

Campos indagou se era possível haver uma redução no reajuste solicitado devido ao impacto orçamentário. Essa ideia foi prontamente rebatida pela presidente do Sintrajuf e coordenadora da Fenajufe, Jacqueline Albuquerque, que explicou ao governador que a proposta original já sofreu cortes por parte da cúpula do Judiciário, que enviou o projeto dentro dos limites orçamentários. A presidente ainda salientou que a categoria só aceita, no máximo, o parcelamento dos valores reivindicados, como ocorreu nos PCSs anteriores.

No início das intervenções após a apresentação do grupo de teatro TV Sindical, Jacqueline parabenizou os servidores do TRT, TRF e TRE pela participação na paralisação de 24 horas e alertou para a necessidade do fortalecimento da mobilização entre os colegas da Justiça Federal. A presidente também traçou um panorama das mobilizações nas varas trabalhistas e cartórios eleitorais no Estado, que tiveram uma boa adesão nessa paralisação, demonstrando que estão prontos para a greve.

Diante das circunstâncias, Jacqueline defendeu a necessidade de a categoria dar um passo adiante nas mobilizações. “Precisamos aglutinar forças para construir uma greve forte, que cause impacto no Governo, no Legislativo e na cúpula do Judiciário, para assim conquistarmos nosso objetivo”, explica.

Para o vice-presidente do sindicato, Denílson Laranjeira, a mobilização deve abranger toda a base. “Precisamos conversar com cada servidor, enviar e-mails, discutir a situação para tornarmos essa greve forte, mas respeitando os ritmos e a realidade de cada local de trabalho. Aqui em Pernambuco há a necessidade de construção dessa greve para garantir o PCS”, alerta o diretor sindical.

No final da atividade, foi criada uma comissão de mobilização para greve formada por Euler Pimentel [TRT], Sinara Batista [TRE], Isaac Oliveira [JF] Carlos Felipe Santos [TRT], Kátia Saraiva [TRT] e Elias Terto [TRT], além dos diretores do sSindicato.

Fonte: Sintrajuf-PE