Paim afirma que lutará “até o fim” em busca de acordo


Por Marcela Cornelli

O senador Paulo Paim (PT-RS) prometeu lutar até o fim (“até os 90 minutos de jogo e mais a prorrogação”) em busca de acordo sobre os pontos que considera fundamentais na reforma da Previdência: subteto, paridade, transição e não-contribuição de inativos. Paim anunciou que hoje haverá reunião com o presidente do PT, José Genoíno, ele próprio, o senador Pedro Simon (PMDB-RS) e o relator da reforma, Tião Viana (PT-AC), em busca de acordo.

Paulo Paim considera impossível votar em dois turnos três reformas previstas em propostas de emenda à Constituição (Previdência, paralela e tributária) e o Orçamento Geral da União até 15 de dezembro (fim do ano legislativo), sem que haja acordo.

“Sem entendimento, teremos que ter uma convocação extraordinária”, previu.

Paim tem 26 emendas à reforma da Previdência e as apresentará na forma de destaques. Ele pediu que os 81 senadores tenham chance de se pronunciar sobre a reforma da Previdência hoje, quando se inicia a votação da PEC em primeiro turno.

“A votação vai se estender pela quarta-feira, porque todos os senadores terão a chance de se pronunciar”, disse.

O senador não antecipou como irá votar, caso não haja acordo em torno dos pontos que defende.

Fonte: Agência Senado