No TRE-SC, Sintrajusc discute a segurança nas eleições 2022


A segurança nas eleições 2022 foi o tema da reunião da coordenação do Sintrajusc com o diretor geral do TRE-SC, Gonsalo Ribeiro, e com o assessor de Planejamento Estratégico e de Eleições, Augusto César Campos. Participaram as coordenadoras Elça de Andrade Faria e Maria José Olegário. O Sindicato foi levar as demandas dos servidores e servidoras apresentadas em encontro realizado no dia 17 de maio. Na reunião, foram apresentadas as linhas gerais do Planejamento Operacional em curso pela Administração. Em breve, o Sintrajusc irá marcar novo encontro com os servidores para repassar e discutir essas linhas gerais.
As principais preocupações são 1) a segurança dos servidores e servidoras e o treinamento dos mesários para lidar com situações que aparecerem no dia da eleição e 2) como está a articulação do TRE-SC com as força de segurança pública, como polícias militar, civil e federal. O diretor geral informou que, em consulta aos juízes eleitorais do estado, não houve manifestação de interesse pelo apoio do Exército. Sobre isso, a coordenadora Maria José Olegário se manifestou observando que, no processo eleitoral em geral, os juízes permanecem em suas casas ou nos fóruns, e são os trabalhadores da Justiça Eleitoral que ficam expostos, na linha de frente.
O diretor geral afirmou ainda que o Tribunal está construindo um memorando de entendimento sobre gestão de risco com o comando da Polícia Militar de Santa Catarina. Também serão feitos os encaminhamentos necessários para que agentes de segurança do Tribunal se qualifiquem visando à regulamentação da Polícia Judicial. Outra medida, no sentido da transparência para evitar tensões nos locais de votação, será o uso de um aplicativo que fornece a qualquer interessado todo o conteúdo constante dos Boletins de Urna, de forma rápida e segura.

Preocupação com saúde física e mental

As coordenadoras do Sintrajusc ressaltaram que desde o ano passado o Sindicato vem ouvindo os servidores, principalmente os que, com os mesários, ficarão na linha de frente das eleições. A preocupação é com a saúde física e mental, na perspectiva da segurança não unicamente voltada aos locais de votação, e sim às pessoas. Nesse sentido, o diretor geral informou que o Tribunal, dentro do programa de saúde mental, irá ressarcir despesas de servidores que receberem atendimento psicológico. As coordenadoras citaram o caso dos atos violentos praticados contra o TRE de Rondônia, cuja sede, em Porto Velho, foi alvo de tiros na madrugada de sexta-feira (10). Segundo nota daquele Tribunal, dois indivíduos tentaram arrombar a guarita do prédio fazendo disparos, o vigilante de plantão revidou e ambos fugiram.
Outro tema tratado na reunião foi o fato de, na terça-feira (14), as coordenadoras Denise Zavarize e Maria José Olegário terem sido impedidas de entregar panfletos aos servidores no prédio-sede do TRE-SC sob o argumento de proteção contra pandemia de Covid-19. Isso nunca havia ocorrido. Informado, o diretor geral, que não estava no Tribunal no dia, assegurou o acesso do Sintrajusc ao prédio no livre exercício das atividades sindicais.

Sintrajusc requer ao TRE-SC informações sobre Plano de Segurança e Contingência para a eleição 2022