Ministério Público instaura procedimento investigatório criminal


O Ministério Público de Santa Catarina, através do promotor de Justiça, Sidney Eloy Dalabrida, instaurou procedimento investigatório criminal para investigar as denúncias feitas pelo deputado Sargento Amauri Soares na tribuna da Assembléia Legislativa no dia 11 de março. Em seu pronunciamento, o parlamentar apresentou um documento de áudio no qual o comandante do 4º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Newton Ramlow, pede votos para o então candidato à reeleição Dário Berger no segundo turno das eleições de 2008, dentro do quartel e em horário de serviço, e se aproveitando da posição de comando. Uma cópia da denúncia foi entregue no mesmo dia para o promotor através do representante da Aprasc sargento Manoel João da Costa.

O promotor vai se valer, de início, dos vídeos divulgados no site da Aprasc (www.aprasc.org.br) e da notícia publicada em jornal da Capital, em 13 de março, em que aparece a versão do deputado, do tenente-coronel, do comando da PM e do prefeito reeleito. Com a abertura da investigação, uma cópia foi enviada ao Centro de Apoio Operacional Criminal do Ministério Público, que fornece apoio técnico ao órgão.

Leia mais:

Em plenário, Soares apresenta vídeo em que tenente-coronel Newton pede votos a Dário.