MAIS DE 40 ENTIDADES TRAÇAM A LUTA EM SC CONTRA A REFORMA TRABALHISTA E DA PREVIDÊNCIA


O Fórum Catarinense em Defesa do Serviço Público reuniu cerca de 40 entidades, movimentos e organizações políticas, nesta sexta-feira, 13, em Florianópolis, para traçar a luta contra a PEC 287, da Reforma da Previdência, e a Reforma Trabalhista, e foram aprovados vários encaminhamentos. Há muito tempo não havia reunião tão representativa, tanto do serviço público nas três esferas quanto da iniciativa privada.

O objetivo é fazer a mobilização crescer na Capital e em todo o Estado, porque o ataque aos direitos trabalhistas é tema que, de uma forma ou de outra, afeta toda a população. O coordenador do Sintrajusc Paulo Roberto Koinski participou da reunião e, em sua fala, destacou a necessidade de se acelerar a mobilização, porque o governo Temer está usando tudo o que tem à disposição para convencer a sociedade da necessidade das reformas. Koinski também sugeriu que se paute a luta pela auditoria da dívida da previdência social, que na verdade tem superávit, e não déficit, e alertou: não podemos colocar fé no STF, que já mostrou em várias ocasiões que não vai ficar do lado dos trabalhadores.

As Centrais Sindicais se reúnem no dia 20/01 para tirar um calendário de lutas, mas até lá, o Fórum vai adiantar a mobilização local e estadual. Um primeiro enfrentamento já irá ocorrer na próxima segunda-feira, quando os servidores municipais de Florianópolis fazem Assembleia, às 13h30, na frente da Câmara de Vereadores, com possibilidade de deflagração de Greve. Isso porque o prefeito Gean Loureiro apresentou um pacote de 36 projetos que, entre outros ataques, modificam o sistema previdenciário dos trabalhadores municipários e as conquistas obtidas pela categoria, como o Plano de Cargos e Salários (PCCS).

Em breve o Sintrajusc irá convocar Assembleia para fortalecer a mobilização no âmbito do Judiciário Federal em SC.