Judiciário se une à luta pela data-base em Ato dia 19


A campanha salarial 2014 esquenta no mês de março, com categorias, como os servidores da UFSC, já em Greve a partir da próxima segunda-feira, dia 17. Os servidores do Judiciário, em Assembleia nesta quinta-feira, aprovaram a participação da categoria no Ato Unificado em Florianópolis marcado para o dia 19, próxima quarta, das 16 às 17 horas, na frente do prédio do TRE-SC. O local e data foram indicados pelo Fórum dos Servidores Públicos Federais em SC.
Nos próximos dia a Coordenação do SINTRAJUSC irá passar nos locais de trabalho das três Justiças para mobilizar a categoria. O Coordenador Sérgio Murilo de Souza destacou a necessidade de mostrarmos força na atividade para construir a mobilização unificada.  O não-atendimento das reivindicações por parte do governo Dilma/PT já levou os técnicos-administrativos da UFSC a aprovarem Greve a partir de segunda.
No dia 19 os servidores do IFSC decidiram paralisar as atividades durante 24 horas e participar do Ato no TRE-SC. Os servidores do IBGE e os professores universitários da UFSC ligados à Seção Sindical do Andes também já confirmaram sua participação no Ato.
 
Mobilização nacional
19 de março será Dia Nacional de Mobilização, com Ato Nacional em Brasília e concentração dos servidores às 9 horas, no Ministério do Planejamento. Em seguida será realizado ato no STF (Supremo Tribunal Federal) para cobrar a pauta específica da categoria representada pela Fenajufe e outros pontos da pauta geral dos SPFs, como a votação do recurso referente à definição de data-base, cujo relator, ministro Marco Aurélio Melo, já se posicionou favoravelmente. Na mesma data, às 15 horas, será realizada a Reunião Ampliada do Fórum Nacional de Entidades, em local a definir.
O Coordenador Sérgio Murilo avalia que essa mobilização articulados dos federais mostrou seu resultado em 2012, quando arrancou reajuste em um momento no qual o governo Dilma/PT insistia em reajuste zero.
Em 2014, com a Copa do Mundo e a eleição, é igualmente necessário agir de forma conjunta para defender as nossas reivindicações, como data-base, que significa uma política permanente de reposição do poder de compra dos salários, além das perdas salariais históricas, a revogação da Reforma da Previdência de Lula e a antecipação da terceira e última parcela do reajuste de 15,8%, que só será paga em 2015 (no Judiciário é a GAJ).
Governo Dilma prometeu, mas não cumpriu
Durante o ato de lançamento nacional da campanha salarial dos servidores federais, realizado no dia 5 de fevereiro, no Ministério do Planejamento, depois de muita pressão dos servidores para que a ministra Mirian Belchior desse uma satisfação à categoria, uma comissão formada por 13 entidades nacionais – entre elas a Fenajufe – foi recebida pelo secretário de Relações de Trabalho, Sérgio Mendonça e pelo Secretário Executivo do MPOG, André Bucar. 
Na ocasião, eles afirmaram que o governo comprometia-se a responder formalmente os oito pontos da pauta de reivindicações até o Carnaval e disseram que intermediariam a construção de uma reunião com a ministra. A quarta-feira de cinzas já se foi há mais de uma semana e até agora o governo não apresentou nada de concreto. Esta semana, Sérgio Mendonça chegou a sinalizar ao Fórum de Entidades que daria uma resposta até o dia 11, mas novamente o governo silenciou ante as reivindicações dos servidores.
A Assembleia de quinta também elegeu o Coordenador Sérgio Murilo de Souza e o servidor aposentado Caio Teixeira como delegados  de SC na Reunião Ampliada da Fenajufe, no dia 20 de março em Brasília. A servidora Claudia Bettoni é suplente.