Greve no BB atinge hoje 16 capitais e o movimento também cresce na Caixa


Por Marcela Cornelli

O número de capitais atingidas pela greve nacional dos funcionários do Banco do Brasil cresceu muito em relação a ontem, segundo informou a Confederação Nacional dos Bancários (CNB). Com as novas assembléias realizadas na noite de ontem, o número de capitais onde há paralisações aumentou de 7 para 16.

Além de São Paulo, Salvador, Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro, Recife e Florianópolis, que já registravam adesão ontem, hoje também estão paradas agências do BB em Porto Alegre, Cuiabá, Curitiba, Maceió, Vitória, Belém, Macapá, São Luís e Teresina. É importante ressaltar que em Alagoas, no Espírito Santo, Pará, Amapá e Maranhão os sindicatos têm base estadual, o que significa que a greve atinge também cidades do interior.

Na Caixa Econômica Federal, a greve também foi engrossada. Além das paralisações em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Cuiabá, que começaram ontem, o movimento ganha hoje a adesão dos sindicatos da Bahia, Maranhão, Espírito Santo, Pará, Amapá e Brasília.

Nesta quarta, às 19h, os funcionários da Caixa da capital paulista decidem, em assembléia, se aderem ao movimento. Também realizam hoje assembléias os bancários da Caixa no Acre, Pernambuco e Ceará.

Os dois bancos federais haviam feito propostas salariais aos funcionários semelhantes às do entendimento obtido junto aos bancos privados, de um reajuste de 12,6%.

Na avaliação da CNB, porém, existe uma demanda reprimida entre os funcionários desses bancos estatais por uma recomposição maior de salários. Segundo a entidade sindical, de setembro de 1994 a agosto de 2002, os funcionários dos bancos privados tiveram reajuste acumulado de 95,41%, enquanto os bancários do BB receberam 36,15% e os da Caixa, 28,26%.

Fonte: Site Último Segundo