Greve do Ibama segue forte e Condsef recorre de liminar que impõe limites ao movimento


Nesta quinta-feira (17), a Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal) entrou com pedido de reconsideração na Justiça da liminar concedida por um juiz substituto que determinou a permanência de 50% dos servidores do Ibama trabalhando durante a greve. A atitude, considerada arbitrária, gerou reação imediata nos servidores. Apesar da ameaça de multa de R$ 5 mil por dia às entidades que descumprirem a decisão, a greve do Ibama segue forte em todo o país. A expectativa é de que até segunda (21) um novo parecer da Justiça seja divulgado.
O principal argumento dos servidores contra a decisão considerada abusiva é que não existe legislação que determine de forma arbitrária esse percentual de trabalhadores para executar atividades durante um processo de greve. A Condsef espera que o direito da categoria seja respeitado. “Enquanto isso a greve segue forte, não vamos recuar”, avisou Pedro Armengol, diretor da Confederação.
Mais de 20 estados já confirmaram paralisação de atividades. Os servidores do Ibama lutam pela derrubada da Medida Provisória (MP) 366, que propõe o desmonte do Ibama pulverizando a execução das políticas ambientais que pode produzir sérios danos ao meio ambiente e a sociedade brasileira. A categoria briga também pela derrubada do Projeto de Lei Complementar (PLP) 01 que pretende limitar investimentos públicos pelos próximos dez anos e ameaça engessar as discussões necessárias para recuperar o serviço público no Brasil.

Fonte: Condsef