Governo mantém-se irredutível e servidores reforçam greve


Por Marcela Cornelli

Você está satisfeito com o reajuste ZERO oferecido pelo governo aos servidores do Judiciário Federal? NÃO. Então venha para a Assembléia Geral que terá início às 13h, na rampa do TRT. Vamos deliberar sobre a nossa participação na greve por tempo indeterminado a partir de 18 de maio.

Federais mobilizados – Após o ultimato dado pelo governo federal, que ameaça retirar a proposta de reajuste diferenciado para as categorias que não aceitarem negociar, aumentou o número de entidades de servidores federais que aderiram à greve. Segundo matéria publicada no jornal O Globo, funcionários das Delegacias Regionais do Trabalho (DRTs) paralisaram no último dia 6/5 suas atividades. Também cresceu a adesão de servidores do Incra ao movimento e sindicatos estaduais de funcionários da Polícia Federal decidiram que não voltarão ao trabalho.

No Incra, greve já atinge 80% dos servidores
O presidente da Confederação Nacional dos Servidores do Incra, José Vaz Parente, disse ontem que cerca de 80% dos 5.250 servidores da autarquia já estão paralisados. A categoria reivindica reposição salarial de 50,1%, realização de concurso público e reestruturação da carreira nos moldes da dos funcionários do Ibama. Parente acredita que quase a totalidade dos servidores vai estar parada a partir do início desta semana. “Quem perde é o Incra e os trabalhadores rurais que estão debaixo de lona. É preciso concurso público e valorização dos servidores para o governo cumprir as metas de assentamento previstas no Plano Nacional de Reforma Agrária”, disse ele.

João Torquato dos Santos, da Federação Nacional dos Servidores Federais do Trabalho, da Saúde, Previdência Social e Assistência Social (Fenasps), classificou como provocação o ultimato do governo, anunciado no último dia 5 pelo ministro do Planejamento, Guido Mantega. “Vamos manter nossa posição de greve geral a partir desta segunda. O governo é que desperdiçou a chance de negociar”, afirmou ele. Além dos servidores do Incra, estão em greve os auditores fiscais da Receita Federal, os advogados da União e procuradores federais, auditores do Trabalho e servidores do INSS.

Na avaliação dos sindicatos do funcionalismo, diversas categorias engrossarão a greve a partir de hoje, como os funcionários dos ministérios, os professores das universidades e professores e servidores de escolas técnicas federais.

O Judiciário e o MPU estão se preparando em todo país para entrar na greve a partir do dia 18. Além dos servidores do Judiciário Federal em SC, realizam assembléias hoje os companheiros do RS, DF, RJ, SP, MT, PE, MG, PA,GO e BA.

A mobilização em SC
Aqui em SC, os servidores federais, além dos previdenciários e dos auditores fiscais da Receita Federal que já estão em greve, estão se preparando para a greve unificada. Da base do SINTRAFESC já deliberaram entrar em greve por tempo indeterminado: Fundacentro, Incra, DRT, Ibama, Advocacia Geral da União, DNIT (extinto DNER), Funasa e Delegacia Federal da Agricultura. Os servidores e professores da Escola Técnica Federal páram hoje por 24h e realizam nova assembléia no decorrer do dia. Os técnicos administrativos da UFSC realizam assembléia hoje. Os professores da UFSC aprovaram paralisação de 48h hoje e amanhã e páram 24h no dia 20.

Da Redação