Fenajufe reforça chamado para a categoria participar do Dia Nacional de Luta, na próxima quinta-feira, 3 de outubro


Servidores de todo o Brasil preparam manifestações para o dia 3 de outubro, seguindo o calendário nacional de lutas da categoria, conforme aprovação da XVIII Plenária Nacional da Fenajufe, realizada de 24 a 26 de agosto. 

Entre várias reivindicações, os servidores do Judiciário Federal e do MPU continuam lutando pela antecipação da última parcela da GAJ e Gampu (15,8%), pela correção dos prejuízos nos padrões e o reenquadramento, pelo aumento dos valores repassados para a saúde e pela garantia da data-base, do pagamento dos passivos, do direito de greve no serviço público, da regulamentação da Convenção 151 da OIT (negociação coletiva) sem que seja confundida com o debate sobre direito de greve, além da luta contra o assedio moral.

Para dar continuidade à mobilização, a Fenajufe orienta os sindicatos a informarem novidades sobre a programação das manifestações do dia 3 de outubro, bem como o resultado dos atos.

Confira as informações já enviadas pelos sindicatos

Sindjus/AL – Em Alagoas, o Sindjus realizou o  4º Congresso Estadual dos Servidores do Judiciário Federal e do MPU (Congrejus), nos dias 27, 28 e 29 de setembro, em Maceió. No Congresso foi debatida a conjuntura, além de carreira, saúde do trabalhador, dívida pública, entre outros assuntos, bem como a definição do  plano de lutas da categoria que estará adequado ao plano aprovado na XVIII Plenária Nacional da Fenajufe. O dia nacional Luta, marcado para 3 de outubro, também foi debatido, mas até o fechamento desta matéria não foram divulgadas as ações para o dia 3.

Sintrajufe/MA – No Maranhão, os diretores do Sintrajufe farão visitas aos locais de trabalho no dia 3 de outubro, para conversar sobre saúde e carreira, com realização de três assembleias setoriais ao final, na Justiça do Trabalho, Eleitoral e Federal.

Sintrajurn/RN – No Rio Grande Norte, o Sintrajurn não organizou nenhuma programação para o dia 3 devido à realização da eleição da nova diretoria, agendada para 2 de outubro.

Sintrajufe/RS – No Rio Grande do Sul, o Sintrajufe realizou assembleia no sábado (28/09), que aprovou paralisação de 24 horas e ato público no TRT no dia 3 de outubro. Também foi aprovada a formação de uma comissão de mobilização que passará nos setores para chamar os colegas a participarem dessa atividade. A passagem será feita nos prédios, a partir das 13h (segunda-feira na Justiça Eleitoral, terça-feira na Justiça do Trabalho e quarta-feira na Justiça Federal).

Sintrajusc/SC – Em Santa Catarina, o Sintrajusc fará assembleia geral no dia 2 de outubro para definir a participação da categoria no dia nacional de luta (03/10). Na Assembleia passada, a luta pela antecipação do reajuste de 15,8% e pela data-base, que estão na pauta nacional de lutas da Fenajufe, foram consideradas prioritárias. Os coordenadores do sindicato estão percorrendo os locais de trabalho nas três justiças para mobilizar os servidores para  a assembleia e para o Congresso do Sintrajusc, também em outubro.

Sintrajud/SP – Como parte do calendário nacional de luta da categoria, os servidores do Judiciário Federal de São Paulo vão realizar manifestações no dia 3 de outubro. A assembleia geral definiu que a manifestação acontecerá em frente a um fórum da Justiça Federal. Na ocasião será denunciada a decisão do Supremo Tribunal Federal de realizar um segundo julgamento do “Mensalão”, com distribuição de pizzas à população, denunciando o próprio Poder Judiciário, que é muito ágil para condenar os trabalhadores e as suas lutas, mas que adota outra postura quando se trata dos detentores do poder. Para essa manifestação serão chamadas outras categorias do funcionalismo público.

Sitraemg/MG – Em assembleia geral realizada em 14 de setembro, os servidores de Minas Gerais deliberaram pela realização de um ato público no dia 3 de outubro, dia nacional de luta, em frente ao prédio do Tribunal Regional do Trabalho, na rua Mato Grosso, em Belo Horizonte, a partir das 11 horas. Durante a concentração, o Sitraemg distribuirá à população um texto com os esclarecimentos sobre os motivos da manifestação. Os servidores do interior também serão orientados a promoverem atividades de mobilização em suas cidades.