Estudo mostra que 17 bi são desviados por ano das administrações públicas para paraísos fiscais


Por Imprensa

Iniciou hoje em Brasília o 1º Fórum Brasileiro de Combate à Corrupção na Administração Pública. O encontro, aberto pelos ministros Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, e Waldir Pires, do Controle e da Transparência, conta com a participação de cerca de 300 representantes dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, Polícia Federal e Ministério Público dos 26 estados e do Distrito Federal.

Segundo estudos da Universidade de Campinas (Unicamp), cerca de R$ 17 bilhões são desviados por ano das administrações públicas para paraísos fiscais, dos quais R$ 2 bilhões retornam “lavados”, quantia que já supera os valores movimentados pelos tráficos de armas e drogas. Somado ao dinheiro desviado das administrações públicas, cerca de R$ 6 bilhões devem ser “lavados” por ano no país, o que deixa o Brasil numa péssima colocação no ranking internacional da corrupção. Em uma escala de 0 a 10 – quanto mais baixo o valor, maior a corrupção – feita pela ONG Transparency International, o Brasil tem 3,9 pontos.

Para o ministro Carlos Ayres, o momento pelo qual o país passa, com a descoberta e revelação de diversos casos de fraudes na administração pública, é ao contrário do que muitos pensam considerado bom. “Isso não é um desalento. Ao contrário, é uma exaltação democrática. Não que os corruptos estejam com os dias contados, mas eles estão sendo descobertos com mais facilidade”.

O ministro do STF considera também que as revelações de casos de corrupção na administração pública são apenas um primeiro momento nesse reflexo democrático, que ganha força a cada dia a partir da participação da população. “Num segundo momento, nós vamos exigir não só uma punição exemplar de todos os corruptos, mas também a devolução ao erário daquilo que foi indevidamente subtraído”, afirmou.

Fonte: Agência Brasil