Estudantes protestam contra baixaria na TV


Por Imprensa

Integrantes da Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos), do Intervozes — Coletivo Brasil de Comunicação Social — e do Centro de Mídia Independente (CMI) organizaram ontem (17/10) à tarde um ato público na Torre de TV, em Brasília, com a transmissão de um programa de rádio com a participação do público em geral.

O ato foi realizado em comemoração ao Dia Internacional de Democratização da Mídia e teve o objetivo de chamar a atenção das pessoas para a qualidade dos programas e informações veiculados nos meios de comunicação.

“A qualidade da programação da TV é péssima, muitas mulheres nuas e pouco incentivo ao esporte”, protestou o faxineiro Gilberto da Silva, durante sua participação no Programa Diálogo Brasil, que transmitiu ao vivo participações do público na Torre de TV.

Para o faxineiro, as emissoras deveriam ter mais respeito com as pessoas que estão assistindo os programas do outro lado da tela, respeitando inclusive a possível presença de crianças. “Eu me revolto com as novelas e parei de assistir, agora só vejo os telejornais”, revelou ele.

Já a artesã Ângela Oliveira, ressaltou que primeiro é preciso saber o que é qualidade para depois discutir o que deve ser permitido na programação.
“Criou-se uma programação que incita as crianças ao consumismo”, analisa.

Fonte: Portal Vermelho com informaçôes da Agência Brasil