Bancários de Florianópolis retornam ao trabalho nesta segunda, mas mantém mobilização


Por Imprensa

Os bancários de Florianópolis aprovaram, em assembléia geral da categoria, realizada na tarde desta sexta-feira (15/10), o retorno ao trabalho na próxima segunda-feira, dia 18/10.

A deliberação foi aprovada por mais de 380 trabalhadores no Auditório da Catedral Metropolitana, na Capital.

Neste 31º dia do movimento, os bancários em greve da base do SEEB Floripa mantiveram o espírito de luta, que levou à deliberação pela greve por tempo indeterminado a partir do dia 15 de setembro. “A categoria decidiu pelo retorno ao trabalho, mas não pelo fim da mobilização. A campanha salarial continua e a nossa pressão junto aos banqueiros também”, disse o Presidente do Sindicato, Rogério Soares Fernandes.

Uma nova Assembléia Geral acontecerá na próxima quinta-feira, dia 21, às 18h30min no Auditório da Catedral. Nesta data os bancários vestirão preto numa manifestação de protesto pela intransigência da Caixa, Banco do Brasil e governo federal. No retorno ao trabalho os bancários aprovaram que não se faça hora-extra à exceção daquela que seja necessária ao atendimento da população e ainda, que não haja venda de produtos do Banco do Brasil e da Caixa. Os bancários deliberaram também pela não aceitação de qualquer tipo de retaliação por parte da direção do BB e da Caixa.

Emoção como se fosse o primeiro dia

A emoção estava à flor da pele. Bancários e bancárias que estiveram no movimento desde o primeiro dia, os que chegaram depois, todos aqueles que acreditaram na força da mobilização da categoria, mostraram no rosto, durante a Assembléia deste 31º dia que valeu a pena. O sentimento de todos refletiu o que se viu na prática durante a greve: a unificação dos bancários, especialmente entre os trabalhadores da Caixa e do Banco do Brasil está selada.

Durante a Assembléia desta tarde e a Plenária organizativa que aconteceu pela manhã, os bancários deram depoimentos emocionados, de uma greve que já entrou para a história da categoria em Florianópolis e no país. No final da Assembléia, num gesto simbólico de unidade dos bancários, os grevistas trocaram abraços, certos de que a luta não se esgotou nestes 31 dias.

Fonte: SEEB Florianópolis/SC (matéria de Janice Miranda)