Em vários estados, categoria paralisa os trabalhos essa semana para pressionar em defesa do PCS


A agenda dos servidores do Judiciário Federal e do MPU em vários estados esta semana será de intensas mobilizações em defesa dos PLs 6613/09 e 6697/09, que revisam os planos de cargos e salários da categoria. Assembleias, atos, paralisações e até a deflagração da greve darão o tom do calendário nacional de luta, aprovado na última reunião da Fenajufe com os sindicatos filiados.

O dia 21 de junho foi definido como a data para iniciar a greve em todo o país, visando a intensificação das pressões para que a cúpula do Judiciário e o Executivo fechem um acordo favorável ao plano. Para esse dia, alguns estados, como Bahia, Mato Grosso, Paraíba e Rondônia, já aprovaram a greve por tempo indeterminado, cujo indicativo será confirmado em assembleias convocadas pelos sindicatos. No Rio Grande do Sul, em São Paulo, no Amazonas e no Acre, os servidores aprovaram promover mais uma paralisação de 24 horas no dia 21 de junho e assembleia geral para avaliar se continuam ou não com os trabalhos paralisados.

No Distrito Federal, a categoria também vai cruzar os braços durante 24 horas, mas nesta quarta-feira, dia 20 de junho, quando promoverá também a ocupação da CFT, um ato na Praça dos Três Poderes e uma assembleia geral para definir a deflagração da greve por tempo indeterminado. Em Alagoas, a greve deverá ter início no dia 28 de junho, cujo indicativo ainda será votado em assembleia do dia 21. Já em outros estados, como Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco, serão realizadas paralisações parciais e assembleias para votar o início da greve. Nos demais, segundo informações repassadas pela Fenajufe, ainda serão promovidos atos nos locais de trabalho e assembleia para avaliar a adesão da categoria ao movimento.

Nesta quarta-feira [20], a Fenajufe se reunirá novamente com um representante de cada sindicato para avaliar o calendário de mobilização em defesa do PCS, a partir do resultado das assembleias dos estados. O coordenador da Fenajufe Jean Loiola reforça a orientação para que os sindicatos continuem trabalhando o calendário de greve na base, considerando que até o momento não há qualquer acordo fechado entre os três poderes. Para ele, essa reunião de amanhã será importante para avaliar o processo de construção do movimento em cada estado. “Precisamos analisar o cenário, mas sempre tendo como foco central a deflagração da nossa greve. Não temos dúvida que o momento exige uma intensa mobilização de toda a categoria, então ampliar e intensificar esse quadro de adesão é o maior desafio no momento”, reforça Jean.

Confira abaixo o quadro de greve e mobilização nos estados e no Distrito Federal.

Greve no dia 21/06

Sindijufe-MT: Em assembleia realizada no dia 14 de junho, a categoria, depois de promover mais um dia de paralisação de 24 horas, aprovou a greve por tempo indeterminado a partir do dia 21 de junho. No mesmo dia, haverá assembleia de avaliação da continuidade do movimento.

Sindjufe-BA: Assembleia promovida no dia 12 de junho aprovou o indicativo de greve para o dia 21 de junho. A próxima assembleia geral será realizada na própria quinta-feira [21], às 13h, para decidir sobre a greve por tempo indeterminado. Antes, servidores de cada tribunal vão se reunir em suas assembleias setoriais para fazer avaliações e encaminhamentos a serem deliberados pela assembleia geral.

Sindjuf-PB: Os servidores do Judiciário Federal da Paraíba, em assembleia geral no dia 13, deliberaram sobre a adesão à greve nacional pelo PCS. No mesmo dia será realizada assembleia para ratificar a decisão.

Sinsjustra-RO/AC: Assembleia realizada em Porto Velho [RO] aprovou a adesão dos servidores da Justiça do Trabalho à greve geral no dia 21 de junho.

Paralisação de 24 horas

Sindjus-DF: Assembleia realizada no dia 14 aprovou paralisação de 24 horas no DF nesta quarta-feira, 20 de junho, quando a categoria se reunirá novamente em assembleia geral. Também nesta quarta-feira, pela manhã, às 10h, os servidores vão comparecer à reunião da CFT. No período da tarde, às 16h, será realizado um grande ato nas proximidades do Palácio do Planalto que deverá se estender até o Ministério do Planejamento, numa grande marcha pela viabilização do PCS.

Sintrajufe-RS: A assembleia geral estadual, realizada no dia 13, aprovou greve de 24 horas no dia 21, quinta-feira. No mesmo dia, será realizada nova assembleia para votar a continuidade do movimento de greve.

Sintrajud-SP: Os servidores do Judiciário em São Paulo vão paralisar os trabalhos por 24 horas no dia 21 de junho. No final do dia a categoria avalia se segue em greve por mais um dia. A decisão foi tirada na assembleia estadual, realizada no último dia 14.

Sitra-AM/RR: Após a realização de cinco assembleias setoriais, os servidores da Justiça do Trabalho da 11ª Região [Amazonas e Roraima] aprovaram paralisação de 24 horas no dia 21 de junho, com avaliação, no mesmo dia, do movimento nacional para deflagração da greve por tempo indeterminado.

Sindjef-AC: Servidores do TRE, dos cartórios eleitorais e da JF do Acre pretendem paralisar os trabalhos durante 24 horas no dia 21 de junho. A decisão foi tomada em assembleia geral, promovida pelo Sindjef-AC, no último dia 13.

Paralisações parciais, atos e assembleias

Sisejufe-RJ: No Rio de Janeiro, os servidores seguem as paralisações setoriais de três, com mobilizações nas portas dos tribunais e fóruns da capital e do interior. Esta semana, as paralisações foram na segunda e na terça-feira [18 e 19/06], das 12 às 15h. Nesta terça-feira também estão sendo realizados atos públicos nas portas dos prédios.

Sitraemg-MG: Nesta quarta-feira [20], os servidores em Minas promoverão paralisação de duas horas e ato público em frente ao prédio da Justiça Federal. No mesmo dia, haverá assembleia para definir os rumos do movimento.

Sintrajuf-PE: Nas assembleias realizadas na Justiça Federal e no TRF, os servidores decidiram realizar paralisações de 2 horas nos dias 20 e 21 de junho, respectivamente. Ambas acontecerão das 16h às 18h e a categoria fará um arrastão no tribunal para chamar todos os funcionários para participar da atividade. Os servidores do TRT sede e da Sudene decidiram realizar um ato público no dia 20 na sede do tribunal. Na ocasião, haverá um protesto pelo corte de ponto feito pela administração do tribunal durante a última greve pelo PCS.

Sintrajusc-SC: No dia 21 de junho, os servidores em Santa Catarina participarão de ato e assembleia geral, no TRE. A atividade será das 16 às 17 horas e nela a categoria vai debater os encaminhamentos da luta pelo PCS e o “Apagão na Justiça Eleitoral”, previsto para a semana de 1 a 5 de julho.

Sintrajufe-MA: Depois de promover um “panelaço” pelo PCS na última sexta-feira [15], os servidores no Maranhão realizarão assembleias setoriais para discutir a greve no estado. Nesta terça-feira [19], os encontros do sindicato serão com os servidores da JF, às 13h, e do TRE, às 17h. Na quarta [20], as assembleias setoriais serão no Fórum Trabalhista Astolfo Serra, às 13h, e no Fórum Eleitoral, às 15. No dia 21, quinta-feira, será a vez dos servidores da Procuradoria da República e da PRT debateram a luta pelo PCS, às 14h e às 16h, respectivamente. Encerrando essa semana de setoriais, na sexta-feira, dia 22, às 14h, acontecerá o encontro na sede do TRT.

Sindjus-AL: Em Alagoas, a categoria já aprovou o indicativo de greve por tempo indeterminado a partir do dia 28 de junho. Também foi aprovada a realização de assembleia geral no dia 21 de junho, para referendar a deflagração da greve. No dia 25/06, será promovido ato público durante a passagem em Maceió da presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia. A concentração será a partir das 13 horas, em frente ao prédio do TRE.

Sinje/CE, Sintrajufe-CE e Sindissétima/CE: No Ceará, os três sindicatos promoverão um ato unificado no dia 21 de junho. A atividade será às 13h, no prédio da Zonas Eleitorais de Fortaleza.

Sindiquinze-SP: Os servidores da JT da 15ª Região estão sendo convocados pelo sindicato para um ato público no dia 21 de junho, no Fórum Trabalhista de Ribeirão Preto. A atividade será das 12 às 14h e a expectativa é que participem servidores de toda a 15ª Região.