Com pressão da greve, negociações pelo PCS avançam


A pressão da greve pelo PCS está fazendo as negociações andarem. Depois de se comprometer com a Fenajufe, o diretor-geral do STF, Sérgio Pedreira, em nome da presidente em exercício do supremo, ministra Ellen Gracie, reuniu-se ontem à noite com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, para iniciar as negociações visando à aprovação do projeto. Segundo informações do site do STF, o diretor-geral do Supremo, Sérgio Pedreira, saiu otimista da reunião preliminar com o secretário-executivo do Ministério, João Bernardo. Ele afirmou que encontrou uma disposição bastante favorável em acolher o pleito do Judiciário, visando à implantação do PCS.
Mas os servidores precisam continuar mobilizados, participando das paralisações e estando preparados para a greve. Isso porque sabemos como são essas negociações, se não houver pressão por parte dos servidores. O ministro do Planejamento falou ontem em criação de uma equipe técnica para atuar junto com os técnicos do STF. Se não pressionarmos, a tendência é as discussões se alongarem mais do que o necessário, mesmo que ontem à noite o ministro tenha declarado que pretende resolver a questão o mais rápido possível.
Em reunião na manhã de ontem, terça-feira, o diretor-geral do Supremo Tribunal Federal confirmou aos diretores da Fenajufe, Roberto Policarpo, Ramiro López e Maria da Graça Sousa, que a ministra Ellen Gracie está trabalhando em favor da aprovação imediata do Projeto de Lei nº 5845/2005. A intenção da ministra é que a primeira parcela do plano seja paga aos servidores ainda este ano.
De acordo com Sérgio Pedreira, a ministra Ellen Gracie já está mantendo contato com o presidente da Comissão de Finanças e Tributação, deputado Moreira Franco (PMDB/RJ), e com o relator da matéria, deputado Geddel Vieira Lima (PMDB/BA), para garantir que o projeto seja incluído na pauta de hoje, quarta-feira (26).
Está prevista para hoje pela manhã uma nova reunião da Fenajufe com o STF, quando o diretor-geral comprometeu-se a informar aos diretores da Federação o resultado das negociações com o ministro Paulo Bernardo e com os deputados Moreira Franco e Geddel Vieira. O resultado da reunião será informado em novo boletim que circulará durante a tarde.
A Fenajufe avalia que o resultado da reunião de ontem no STF é fruto direto do processo de mobilização dos servidores, em nível nacional, que tem se fortalecido nas últimas semanas. A Federação considera fundamental a intensificação da luta nos próximos dias, com a participação de todos os sindicatos filiados e de toda a base. Na reunião de ontem, os diretores da Federação reafirmaram novamente ao diretor-geral do STF que a categoria estará realizando uma greve de 48 horas nestas quarta e quinta-feira, com possibilidade de se transformar em uma greve por tempo indeterminado. Por isso, é fundamental, mais do que nunca, que a paralisação seja um sucesso em todo o país, para garantir que ainda esta semana a categoria tenha uma resposta positiva em relação à tramitação do PCS. O projeto pode entrar na pauta de amanhã da Comissão de Finanças, mas para isso é preciso garantir a previsão orçamentária necessária à implementação do Plano. E isso só será garantido com muita mobilização e luta, em todo o país.

Todos à paralisação de 48 horas nos dias 26 e 27 de abril!