“Ciganos” será lançado nesta terça-feira, dia 28, às 19h, no Centro Cultural Badesc, em Florianópolis


Por Elaine Tavares
 
O Rogério Ferrari é um baiano de fala mansa e olhar doce que tem pautado sua vida justamente na capacidade de ver. Ele decidiu fazer da arte da fotografia, coisa que domina, uma forma também de contar histórias que se escondem nos fundões do mundo. Seu clicar se dirige para os que raramente têm onde expressar sua vida, sua dor, sua beleza. Então ele captura essas vidas, ele as esculpe na luz e entrega ao mundo, para que sejam vistos, escutados, amados. Foi assim com o povo saharauí, com os curdos, os palestinos, os zapatistas, os sem-terra e agora os ciganos.

São os ciganos – esse povo lindo, nômade, alegre, bonito – os que saltam das páginas do novo livro de Ferrari. Esculpidos em preto e branco, ali estão no seu esplendor, no cotidiano, na dança, na beleza. E é esse trabalho que será lançado nesta terça-feira, dia 28, às 19h, no Centro Cultural Badesc, em Florianópolis. Junto com o livro “Ciganos” Rogério inaugura também uma exposição. Assim que toda a grandeza desta milenar cultura estará ao alcance da vista. Vale a pena se deixar ficar por alguns momentos apreciando a vida em movimento.

Ciganos – mais uma formosura do olhar de Rogério Ferrari.