Câmara e Senado permanecem sem movimentação até que se defina a convocação extraordinária


Por Janice Miranda

Sem definição sobre a convocação extraordinária do Congresso, no próximo dia 20, Câmara e Senado permanecem sem movimentação de congressistas durante o recesso parlamentar que se encerra em 15 de fevereiro. Nem mesmo parlamentares da comissão que representa as duas Casas durante o recesso foram encontrados.

Um projeto que reduz o recesso parlamentar de 90 para 45 dias está em tramitação na Câmara. A proposta já foi aprovada na comissão especial que analisa o assunto. Pelo texto, os deputados e senadores passariam a ter recesso entre os dias 16 e 31 de julho e entre os dias 15 de dezembro e 15 de janeiro.
O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), um dos defensores da convocação extra para a tramitação dos ajustes na Previdência, já reconheceu que o recesso de 45 dias, a metade do atual, seria suficiente. Caso ocorra a convocação, ela deve partir da Presidência.

Fonte: Jornal do Brasil