Movimento antipublicidade invade metrô de Paris


Por Janice Miranda

No Metrô parisiense, grandes cruzes negras cobrem as marcas e os visuais publicitários. Desenhos, colagens, grafites e pichações recobrem inteiramente os aliciadores anúncios de Natal : “a publicidade é uma droga pesada”, “sirva-se, consuma, pague”, “mercadoria por toda parte, poesia em nenhuma”…Inicialmente pontuais, essas operações de contrapropaganda tornaram-se uma ação regular das noites de sexta-feira, em uma quinzena de estações do Metrô de Paris, convocadas pelo “Stopub”, um coletivo de organizações.

Aquelas e aqueles que lutam atualmente contra o desmonte do serviço público na França – artistas, profissionais da saúde, professores e pesquisadores – recebem o reforço, nas noites de sexta, de centenas de “guerrilheiros urbanos” armados de sprays, latas de tinta e cartazes feitos em casa.

O objetivo é recobrir o máximo de cartazes publicitários em um movimento que reivindica a defesa do espaço e do tempo contra a invasão da propaganda. “Em face ao endurecimento da ofensiva capitalista, nós declaramos publicamente guerra contra esse novo tipo de totalitarismo e atacamos seu principal combustível: a publicidade”, anuncia um texto do “Stopub” que acusa a publicidade de invadir “nossos espaços públicos, a rua, a televisão, nossas roupas e nossos muros” e propõe a retomada do espaço público “através de um gesto coletivo e alegre de protesto”.

Mais informações sobre o movimento antipub nos seguintes endereços:
www.stopub.tk
www.bap.propagande.org
www.antipub.net
www.adbusters.org
e, em breve, www.lejournaldesmurs.org

Da Redação com informações da Agência Carta Maior