Ato no TRT de Minas reafirma compromisso de lutar pelo PCS


BRASÍLIA – 26/05/10 – Em mais um passo na construção da greve em Minas Gerais, cerca de 400 pessoas compareceram ao ato em frente ao Tribunal do Trabalho da rua Mato Grosso, nesta terça-feira [25]. O ato foi conduzido pelo diretor jurídico do Sitraemg, Fernando Neves, que, com mensagens positivas e de apoio para a categoria, deu os últimos informes sobre a greve no Brasil e parabenizou os estados que já aderiram – “a greve é um ato de coragem, construído dia após dia”, frisou. Músicos da categoria animaram os participantes, que também tinham à disposição massagem terapêutica no local.

O diretor também tranquilizou os servidores quanto a represálias das administrações e quanto à reclamação de que diretores de algumas VTs estariam impedindo os trabalhadores de participarem da greve ou mesmo chamando os grevistas de volta ao trabalho. “O sindicato já conversou com as administrações de todos os tribunais e elas estão do lado dos servidores. Convidamos os diretores das VTs para uma reunião na sexta-feira para expormos sobre a importância da greve e da necessidade da adesão dos trabalhadores, pois no fim eles também serão beneficiados com o PCS”, explicou Neves.

De acordo com o Sitraemg-MG, muitas mensagens de apoio à greve têm chegado do interior e da capital ao sindicato desde o dia 12 de maio, quando o movimento foi deflagrado em Minas, das quais Fernando Neves leu algumas, inclusive das VTs de Sete Lagoas e Barbacena, que aderiram recentemente à greve. Havia também mensagem enviada pela diretora jurídica do sindicato e coordenadora do Núcleo de Aposentados, Gilda Bandeira, que fez uma coletânea de frases de escritores famosos para incentivar o movimento. José Francisco Rodrigues, servidor do TRT, fez um elogio aos agentes de segurança, de quem declarou sentir “um orgulho enorme” e pediu um apitaço para os colegas, que aderiram em peso à greve e continuam mobilizados.

Encerrando o ato, os servidores receberam mais esclarecimentos sobre a tramitação do PCS e, mais uma vez, foram convidados a exercer a solidariedade em seus locais de trabalho, conversando com os colegas para que juntem-se à greve sem medo. “Precisamos mostrar ao governo que a força do Judiciário está nos servidores e que nós não desistiremos do nosso PCS. Tenho confiança de que Brasília entrará em greve e dará um fôlego extra ao movimento”, finalizou Fernando Neves, citando a assembleia dos servidores brasilienses para deliberar sobre o movimento, a qual o presidente Alexandre Brandi veio acompanhar.

Fonte: Sitraemg-MG