Ampliada da FENAJUFE dicutiu participação na Campanha Salarial dos SPF’s


Por Marcela Cornelli

Os representantes dos servidores do Judiciário Federal e do MPU, em reunião ampliada ontem (15/7) na sede da Fenajufe, acertaram a atuação da categoria na Plenária Nacional dos Servidores Públicas Federais, que acontece hoje, em Brasília, e nas atividades de mobilizações da Campanha Salarial 2004 dos SPF’s. Os principais pontos discutidos na reunião foram os referentes à campanha salarial, à conjuntura nacional e às reformas sindical e trabalhista. Os representantes da categoria também aprovaram um calendário de lutas que será encaminhado à apreciação das demais categorias na Plenária de hoje.

Dentre as propostas aprovadas, estão a realização de um Dia Nacional de Lutas, com lançamento da Campanha Salarial 2004 nos estados no dia 1 abril, e paralisação de 24 horas em todos os estados, no dia 14 de abril, com advertência contra a reforma sindical que está sendo discutida no Fórum Nacional do Trabalho e realização de seminários e debates sobre o tema. Este calendário será submetido aos delegados da Plenária dos SPF’s.

Sobre o indicativo de greve, a ampliada aprovou avaliar o resultado da Plenária de hoje para tentar construir um movimento unificado junto com as demais categorias dos servidores públicos federais.

A respeito da participação da CUT no Fórum Nacional do Trabalho, os delegados reafirmaram a posição contrária à decisão da Central em apoiar à reforma sindical elaborada no Fórum. Ratificaram, ainda, a decisão da Fenajufe de elaborar um documento a ser encaminhado à direção nacional da CUT, repudiando a decisão da CUT e o mérito da proposta de reforma e exigindo a retirada da Central do FNT.

A reunião ampliada da Fenajufe contou com a participação de 43 servidores e 16 sindicatos filiados. Neste momento, os representantes da categoria estão participando da Plenária Nacional dos SPF’s e amanhã vão participar da atividade de lançamento da Campanha Salarial 2004, que contará com um ato público, às 10h, em frente ao Ministério Público do Orçamento e Gestão.

Fonte: FENAJUFE