14º Encontro Nacional Feminista superou as expectativas, avaliam organizadoras


Por Marcela Cornelli

No último domingo (16/11), pela manhã, no Hotel Plaza São Rafael, em Porto Alegre (RS), ocorreu o encerramento do 14º Encontro Nacional Feminista (ENF) que contou com a presença de 450 mulheres representantes de 15 Estado: Santa Catarina, São Paulo, Pernambuco, Bahia, Paraíba, Brasília, Goiás, Rio de janeiro, Rio Grande do Norte, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Pará, Roraima e de vários municípios do Rio Grande do Sul.

No decorrer do Encontro foram prestadas várias homenagens à memória da feminista gaúcha, Vânia Araújo Machado, tendo sido apresentado um vídeo sobre sua trajetória de vida e sua militância no movimento feminista.

O Encontro recebeu a visita e saudação de três ilustres visitantes: as ministras Matilde Ribeiro e Maria Emília Fernandes, e Célia Moroz (Doutora e escritora da Espanha). Nos quatro dias do Encontro foram feitas seis exposições com temas como: Feminismo: Do neoliberalismo rumo a uma nova concepção da sociedade; Novas concepções de família; Feminismo na construção de políticas públicas e controle social; Feminismo e Diversidade/articulação do projeto feminista na sociedade; Feminismo como projeto político de vida e Aborto no Século XXI. Com várias palestrantes de destaque nacional e internacional no mundo feminista.

Nas vinte e quatro oficinas foram debatidos vários temas além da programação cultural com shows, festas, lançamento de cd’s de artistas gaúchas. Foram lançados também os anais do 13º Encontro Nacional Feminista, realizado na Paraíba em 2000. As participantes ainda puderam usufruir da “Tenda Saúde” com terapia Quântica, yoga, holismo, fitoterapia, reiki e outras atividades. Fez parte também do evento a participação de 650 pessoas que caminharam em passeata da esquina democrática até o Largo Zumbi dos Palmares.

No encerramento do Encontro foram tomadas, entre outras, a resolução de que o local do 15º Encontro Nacional Feminista será no Estado de Pernambuco, no primeiro semestre de 2007.

Além das resoluções, foram aprovadas várias moções que serão enviadas a várias autoridades do Brasil e do mundo. Entre elas algumas endereçadas ao Governo Lula, exigindo a suspensão das reformas até que passem pela ampla discussão e avaliação dos movimentos sociais organizados; solicitação da revogação do artigo 6º da lei 10101 que autoriza os comerciários a trabalharem aos domingos; a universalização do saneamento e acesso à água que é um direito de todos e outra às Nações Unidas, repudiando a invasão do Iraque com a exigência de que todos os países se retirem do local em nome do direito à soberania e dos Direitos humanos.

Para as organizadoras, o Encontro superou as expectativas em termos de conteúdo, participação, estrutura e brilhantismo das palestrantes. Porém, o número de mulheres participantes foi menor que o dos encontros anteriores. Segundo elas, isso foi devido à crise econômica e a grande distância geográfica entre as regiões do país.

Outros avanços pontuados do Encontro foram os debates sobre o aborto e o lesbianismo. Conforme as mulheres lésbicas, nunca um encontro debateu tanto esses temas como o 14º ENF.

Fonte: Portal Vermelho