TRT: SINTRAJUSC cobra pagamento dos juros dos atrasados da URV


Os Coordenadores Sérgio Murilo de Souza e Claudia Bettoni reuniram-se na sexta-feira, dia 9, com a Diretora-Geral do TRT, Nezita Maria Hawerroth Wiggers, e com o Assessor Gilmar Edilson Vieira, para discutir o pagamento dos juros dos atrasados da URV.

Nezita Wiggers informou que, conforme Comunicado aos servidores, o repasse financeiro dos valores ainda não tem data definida. Quando o repasse ocorrer, o Serviço de Preparo de Pagamento precisará de 20 dias para fazer a inclusão na folha de pagamento.

Sérgio Murilo e Claudia fizeram questionamentos sobre a pressão do TRT12 para que os valores sejam liberados o mais breve possível, e, segundo Nezita Wiggers, a pressão está ocorrendo junto ao Ministério do Planejamento via a Presidente do CSJT. Ela ressaltou que, ao contrário de vários Tribunais, que ainda irão pagar o valor principal, o TRT12 irá pagar somente os juros, pois o principal já foi pago. A expectativa é que esse fato acelere a liberação dos valores. Sobre os 20 dias necessários para incluir o repasse na folha, ela disse que o trabalho é manual, porque a base de dados da época ainda não foi informatizada.

Em Comunicado aos servidores no dia 6, a Desembargadora-Presidente Gisele Alexandrino informou que desautorizou o SEPP a prestar informações sobre o assunto ou fornecer cálculos individuais até o efetivo pagamento. “A Administração manterá os magistrados e servidores informados de maneira coletiva, por meio de mensagem circular”, diz o Comunicado.

O SINTRAJUSC irá acompanhar o assunto, para que os servidores sejam pagos com a mesma celeridade com que são pagos os magistrados em relação às suas pendências.

Pagamento da mudança de letra

Na reunião, a Coordenadora Claudia Bettoni também falou sobre a não-mudança de letra na data esperada, fato ocorrido pelo menos a partir de setembro do ano passado, o que ocasionou o não-pagamento desses valores a servidores do Tribunal. O Sindicato fez um apelo, na reunião, para que a situação seja revista de forma imediata, com pagamento dos valores atrasados, mas informou que, de qualquer maneira, a Assessoria Jurídica do SINTRAJUSC já está preparando um requerimento administrativo para o Tribunal corrigir o problema. Também se exigirá que o Tribunal crie um sistema que permita ao Preparo de Pagamento fazer essa mudança de forma automática e com antecedência, para evitar que servidores sejam prejudicados. A Assessoria Jurídica do Sindicato aguarda apenas alguns dados de servidores prejudicados para dar entrada no pedido.