Sindicatos reúnem-se com administração dos Tribunais para discutir greve


A categoria está em um momento decisivo da luta por reposição salarial e é importante que cada um participe das atividades. Nesta quarta-feira, 30, o Congresso Nacional apreciará o veto ao PLC 28/15 e, para aumentar a pressão, o Sindicato convoca para o Apagão e acompanhamento da sessão do Congresso Nacional, a partir das 11h30min, com transmissão no TRT e na Justiça Federal. 
A Fenajufe também vai disponibilizar, em seu site, a conferência em tempo real da presença dos parlamentares na sessão do Congresso Nacional. O quadro atualizado servirá de orientação às equipes que estiverem atuando no Congresso e também os servidores nos estados, que poderão ajudar ligando no gabinetes daqueles parlamentares que ainda não tenham comparecido e assinado lista de presença. 
Através do painel os servidores com o trabalho de corpo-a-corpo no interior da Câmara e Senado saberão quem está presente no plenário e quem não está. O painel estará disponível imediatamente após a instalação da sessão conjunta das duas casas legislativas.
 
Negociação
Além do Apagão, no TRT Esteves Júnior também está marcado Ato das 13 às 15 horas. É fundamental que todos os servidores participem porque, às 14 horas, o Sindicato irá negociar com  a  Administração  do  Tribunal as  horas  paradas  na  Greve,  e  a   presença   no   Ato   é  um  apoio fundamental aos grevistas. 
No âmbito da Justiça Federal, na tarde desta terça-feira, 29, houve nova reunião entre os Sindicatos do Sul do país e a administração do TRF4 para tratar da greve da categoria. Estavam presentes o diretor do Sintrajusc Paulo Koinski, acompanhado do advogado da assessoria jurídica Luciano Cunha, do Sintrajufe/RS e do Sinjuspar/PR. Pela administração, participaram o juiz auxiliar da presidência, Artur César de Souza; o diretor-geral, Eduardo Pedone de Oliveira; e o assessor da presidência, João Zurlo Filho.
Os representantes dos sindicatos falaram sobre os mais recentes encaminhamentos da greve e o contato com as administrações buscando o início imediato das negociações dos dias parados. 
Os dirigentes afirmaram que o acordo buscado ficaria nos moldes do assinado em 2014, com compensação do trabalho e prazo definido para que isso seja feito. Foi questionado, ainda, qual o prazo em que o acordo precisaria ser fechado, a fim de não haver descontos na próxima folha salarial.
O juiz Artur César de Souza afirmou que a administração "vê com bons olhos" que a compensação siga os termos dos últimos acordos de greve. 
Depois de consulta ao setor de folha de pagamento, foi informado aos dirigentes sindicais que o prazo para fechamento da folha é dia 7 de outubro e que o tribunal precisa repassar os dados sobre a greve ao Conselho Nacional de Justiça. 
Foi acertado que as entidades sindicais encaminharão à administração uma formalização da proposta de compensação e que nova reunião acontecerá na tarde da sexta-feira, 2 de outubro. Com informações e fotos do Sintrajufe/Rosane Vargas