Vai até dia 25 prazo para responder pesquisa sobre impactos psicossociais do trabalho não-presencial na saúde mental dos servidores


Em mais um projeto envolvendo a UFSC, desta vez com o Núcleo de Estudos de Processos Psicossociais e de Saúde nas Organizações e no Trabalho (NEPPOT), quatro Sindicatos lançaram uma pesquisa pioneira no sul do país para investigar os impactos psicossociais do trabalho não-presencial na saúde mental dos servidores. A pesquisa é aplicada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina (SINJUSC), SINTRAJUSC, Sindicato dos Servidores da Justiça do Estado do Rio Grande do Sul (SINDJUSRS) e Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Paraná (SINDIJUS-PR).

O objetivo é subsidiar as políticas e práticas sindicais e institucionais de combate e prevenção às doenças que afetam os servidores, com ações voltadas também ao melhoramento das condições de trabalho. A pesquisa ficará disponível até 25 de novembro e pode ser respondida por TODAS e TODOS AQUI NESTE LINK.

A orientação é que os servidores reservem, na medida do possível, de 30 a 40 minutos da jornada de trabalho para responder as perguntas com calma. Há questões relacionadas ao teletrabalho/trabalho em casa, ao suporte social e organizacional, a “sinais/sintomas” psíquicos e a comportamentos negativos relacionados ao trabalho.

Os dados dessa pesquisa fornecerão subsídios importantes nas tratativas com a administração dos Tribunais e também junto aos Conselhos Superiores.

SELO DA UNIVERSIDADE

Coordenada pelas doutoras Renata Silva de Carvalho Chinelato e Suzana da Rosa Tolfo e pelo mestre Renato Tocchetto de Oliveira, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), a pesquisa será realizada com trabalhadores dos Tribunais de Justiça do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, e das Justiças Federal, Eleitoral e do Trabalho de Santa Catarina.

SERVIÇO

Para participar da pesquisa, CLIQUE AQUI. As respostas serão enviadas diretamente para o banco de dados do NEPPOT da UFSC, garantindo, assim, o sigilo e anonimato dos participantes.

COMISSÕES

O Sintrajusc tem canais abertos aos servidores e servidoras que precisam de suporte, acolhimento, apoio e soluções em qualquer situação enfrentada nos locais de trabalho envolvendo assédio moral, assédio sexual e qualquer forma de discriminação. Além da direção, há uma comissão específica para esse fim que pode ser acionada por contato telefônico, e-mail geral do Sindicato ou e-mail específico, ouvidoriaassedio@sintrajusc.org.br Também há o Grupo de Trabalho Antonieta de Barros, Mulheres, Negros e Negras e LGBTI+, que tem grupo no whatsapp (solicite adesão ligando para o telefone 48-32224668).

Na pandemia de Covid-19, uma das preocupações do Sintrajusc é com o assédio moral, que agora passa do ambiente físico para o virtual em tempos de cobrança de metas e rankings de produtividade à custa da saúde física e emocional dos trabalhadores. O fato é que teletrabalho não é um plantão de 24 horas nem implica disponibilidade nos três turnos!

Estamos presente nas Comissões de Prevenção e Enfrentamento do Assédio Moral, do Assédio Sexual e da Discriminação nas três justiças em Santa Catarina, conforme prevê a Resolução do CNJ nº 351/2020, mas a nossa preocupação com o tema é bem anterior.

Entre 2010 e 2012, o Sindicato realizou a ampla pesquisa “Como vai você?”, que verificou as condições de saúde e de trabalho dos servidores do Judiciário Federal em Santa Catarina. Foram dezenas de visitas aos locais de trabalho, divulgação de materiais e palestras.

Em 2018, a entidade distribuiu em todo o estado o Assediômetro, um termômetro que indica as condições de locais e comportamentos sadios e os sintomas de quando essa condição se altera, podendo levar ao sofrimento psíquico.