Setores se organizam para reforçar paralisação de 3 horas (15 à 18h) na quinta


O SINTRAJUSC realizou terça três Reuniões Setoriais (no TRE, fundos do TRT e prédios das VTs) para discutir a Campanha Salarial e o indicativo de Greve. Os colegas da 2ª e 3ª VF de Chapecó informaram que irão paralisar, e a 1ª VF está discutindo a questão. Nessa quarta a Reunião Setorial será na Justiça Federal às 16 horas. 
 
Reunião no TRT-SC
Nesta terça-feira os coordenadores do Sindicato Sérgio Murilo de Souza e Daniel Ferreira entregaram ao presidente do TRT-SC, desembargador Edson Mendes de Oliveira, ofício informando da paralisação de três horas na quinta-feira, dia 15, e solicitando a intervenção do presidente,  na busca do atendimento de nossas reivindicações. Nesta quarta-feira haverá reuniões com esse mesmo objetivo na Justiça Federal e no TRE-SC.
O presidente do TRT disse que a luta dos servidores é justa e o que o Tribunal pode influir no encaminhamento das reivindicações, mas ressaltou que a decisão depende da cúpula dos tribunais.
Sérgio Murilo relatou a situação salarial e das condições de trabalho da categoria, citando o corte de funções, os problemas nas lotações e as resoluções vindas do CNJ e CSJT que prejudicam os servidores e sucateiam de fato a Justiça do Trabalho.
Vale lembrar que as perdas salariais são de 55,59%, calculadas com base no ICV Dieese, compreendendo o intervalo de junho de 2006 a março de 2013. O Coordenador do Sindicato disse que, além desse fato, a Justiça do Trabalho – que tem um caráter social – acaba sendo cobaia de experiências de gestão altamente criticadas em várias instâncias, como o Processo Judicial Eletrônico (PJe). 
Na reunião, o presidente também foi informado de que, na sexta-feira (09/05), o Supremo Tribunal Federal instalou a mesa de negociação, com representantes da Fenajufe, dos tribunais e conselhos superiores e do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, mas essa mesa, apesar das críticas da Fenajufe, tem caráter informal. 
A pauta geral de reivindicações dos SPFs foi protocolada por meio de ofício no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), no dia 23 de janeiro. O funcionalismo cobra a implementação de política salarial permanente, com a definição da data-base dos federais em 1º de maio. 
Outras reivindicações são a reposição inflacionária, valorização do salário-base, incorporação das gratificações, cumprimento, por parte do governo, dos acordos e protocolos de intenções firmados com as categorias, contra qualquer reforma e projeto que retira direitos dos trabalhadores, como, por exemplo, a proposta que busca acabar com o direito de greve, paridade entre ativos e aposentados, reajuste dos benefícios e antecipação para este ano da parcela de 2015 dos acordos firmados em 2012 (a GAJ, no caso do Judiciário Federal).
 
Orientações
O Sindicato orienta os servidores a conversarem com seus colegas de trabalho para que participem  das atividades e da paralisação de três horas nessa quinta-feira. 
Os colegas fora da Capital devem formar comissões de mobilização por ramo de justiça ou cidade, tirar delegados sindicais e comunicar o Sindicato de suas atividades, para que possamos dar todos os informes na Assembleia Geral. 
Nossa luta depende da nossa unidade e organização!
O Sindicato irá disponibilizar transporte para os colegas da Justiça Federal às 14h30 na frente do prédio, para que se desloquem para a Assembleia.