– Servidores protestam contra congelamento salarial, previdência complementar, avaliação de desempenho e privatização dos serviços públicos


BRASÍLIA – 14/04/11 – Servidores de várias categorias do funcionalismo público federal se reuniram, mais uma vez, em Brasília, para reforçar a luta em torno da pauta de reivindicações da campanha salarial, lançada em fevereiro deste ano. O ato unificado, realizado nesta quarta-feira (13), contou com a participação de aproximadamente 15 mil servidores, vindos de vários estados do país. Eles protestaram contra congelamento salarial, previdência complementar, avaliação de desempenho e privatização dos serviços públicos, cujos projetos com esse teor tramitam no Congresso Nacional.
 
Debaixo de um sol forte, os servidores se concentraram, por volta das 14h, em frente ao Palácio do Palácio, com faixas, cartazes e apitos. De lá, eles saíram em caminhada por toda a Esplanada dos Ministérios em direção ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. De cima de um carro de som, dirigentes das três centrais sindicais (CUT, CTB e CSP/Conlutas) e das entidades nacionais do funcionalismo público conduziram o ato, reforçando a pauta de reivindicações, contrária a qualquer proposta que retire direito dos trabalhadores.
 
O representante da CUT nacional Paulo Henrique destacou a importância daquela manifestação, que mostrou mais uma vez a disposição dos servidores em se manterem unidos contra os projetos que atacam seus direitos e contra a política de corte no orçamento da presidente Dilma Rousseff. “Mais uma vez neste ano os servidores vieram mostrar ao governo sua disposição de luta. Precisamos manter essa unidade, porque a política em andamento é de brecar qualquer investimento no serviço público”, disse o dirigente da CUT, afirmando a necessidade de garantir o apoio da sociedade para essa luta.
 
Para o coordenador geral Zé Oliveira, que falou no ato em nome da Fenajufe, o cenário de dificuldades aponta, cada vez mais, a importância de todos os setores do funcionalismo se manterem unidos para avançar na pauta de reivindicações. “Esperamos que essa audiência com a ministra Mirian Belchior não fique só no hoje, mas que avance para o estabelecimento de um canal efetivo de diálogo que garanta a definição de uma política para o funcionalismo”, afirmou Zé, se referindo à audiência das entidades sindicais com a ministra do Planejamento, realizada no final da tarde de ontem.
 
O coordenador geral da Fenajufe reforçou as falas dos colegas que o antecederam, ressaltando a unidade e a organização dos servidores como as prioridades no momento. “Precisamos continuar com nossa unidade para barrar as políticas do governo federal que atacam diretamente os nossos interesses. É importante avançarmos cada vez na nossa organização para que nossas reivindicações sejam atendidas”, reforçou Zé Oliveira.
 
Os eixos campanha salarial dos servidores públicos são os seguintes:
– Contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores.
– Regulamentação/institucionalização da negociação coletiva no setor público e direito de greve irrestrito.
– Retirado dos PL’s, MP’s e decretos contrários aos interesses dos servidores públicos (PLP 549/09, PL 248/98, PL 92/07, MP 520/10 e demais proposições).
– Cumprimento, por parte do governo, dos acordos firmados e não cumpridos.
– Paridade entre ativos, aposentados e pensionistas.
– Definição de data-base em 1º de maio.
– Política salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações.
 
Da Fenajufe – Leonor Costa