Servidores continuam greve em Minas para pressionar STF


Os servidores do Judiciário Federal de Minas Gerais decidiram em assembléia-geral na última quinta-feira [17], manter a paralisação por tempo indeterminado. Eles seguiram o indicativo aprovado na reunião nacional da categoria, realizada na quarta-feira [16], em Brasília.

A assembleia em Minas decidiu ainda que as manifestações da greve passam a ser semanais. O próximo ato será na quinta-feira [24], às 13 horas, no TRT do Barro Preto.

Em Uberlândia, os trabalhadores também decidiram, em assembleia na quinta-feira, por manter a paralisação e acompanhar o indicativo nacional da categoria. No interior, cidades como Montes Claros e Araxá estão paralisadas.
Na assembléia realizada em Belo Horizonte, os servidores avaliaram, por maioria, que é preciso manter a paralisação nesse momento que é decisivo para a conquista do PCS.
“Voltamos da reunião ampliada trazendo a posição da Fenajufe que foi pela continuidade da greve em nível nacional”, explica Alexandre Brandi, presidente do Sitraemg. Embora a maioria tenha votado por manter a paralisação, nessa assembléia também foi apresentada uma proposta de voltar ao trabalho, porém com manutenção das mobilizações e em “estado de greve”.

Para Fernando Neves, também diretor do Sitraemg, o momento exige uma grande unidade da categoria, que luta contra o congelamento salarial e pelo direito de se organizar sindicalmente. “Vamos juntos manter a luta pela conquista do nosso PCS”, convoca.

Fonte: Sitraemg-MG