Reuniões discutem pressão e reposição de trabalho


Nesta segunda-feira a Direção do SINTRAJUSC, o Comando Estadual de Greve e o Assessor Jurídico Fabrizio Rizzon reuniram-se com a Administração do TRT e da JF para tratar de assuntos referentes ao movimento.

No TRT, um dos temas levados à Administração do Tribunal foi a forte pressão exercida sobre servidores que continuam trabalhando para cumprir o percentual determinado pela Lei de Greve. O caso mais grave ocorre na 3. Vara de Criciúma. O Comando de Greve reinvindicou que o TRT determine a suspensão de prazos naquela Vara e em duas Varas da Capital para aliviar a forte pressão sobre os trabalhadores que não paralisaram as atividades.

O juiz Gilmar Cavalieri ouviu com atenção a proposta, mas disse que não pode, como administrador público, tomar tal iniciativa, que prejudicaria os jurisdicionados. Ele também falou que se fizesse isso, teria que estender a medida para todo o Tribunal. O Comando respondeu que a manutenção de uma parte dos serviços evitaria prejuízos, além do que há precedente de suspensão de prazos por parte da Administração do TRT no Paraná. O Presidente, porém, manteve a posição inicial, mas ficou de conversar com os juízes responsáveis pelas três Varas para que consigam equilibrar as demandas internas com a luta dos servidores, respeitando-os em seu fazer.

Na Justiça Federal o Comando de Greve conversou sobre um problema em um dos setores da Capital, onde um juiz impediu que se fizesse mobilização junto aos servidores. Outro assunto foi a forma de reposição do trabalho após o término da Greve, com o objetivo de não prejudicar quem fez a luta pelo PCS. O Diretor do Foro, juiz Alcides Vettorazzi, mostrou-se sensível à reivindicação, e já foi marcada data para nova negociação, dependendo do andamento da Greve

Nesta terça representantes do Comando viajam para o Norte (Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Mafra, Canoinhas e Caçador) e o Meio-Oeste do Estado (Lages, Curitibanos, Videira e Fraiburgo) para conversar com os colegas e convencê-los a aderir ao movimento. Na quinta as visitas serão em Joinville e Itajaí, e na sexta em Brusque, Timbó e Indaial. Hoje houve novas adesões à Greve no âmbito da JE, que a cada dia incorpora novos servidores à luta pelo PCS.