PM agride professores e alunos em frente ao Palácio Guanabara


Por Marcela Cornelli

A Polícia da governadora Rosinha Matheus protagonizou ontem mais um espetáculo de violência e falta de habilidade, durante manifestação promovida por professores e alunos em frente ao Palácio Guanabara. Irritados com a postura de um estudante, que discursava no carro de som, policiais militares decidiram prendê-lo, mas esbarraram na resistência de professores e alunos, que tentaram proteger o jovem, posicionando-se em torno dele. De imediato, usando cassetetes, a polícia passou a agredir a todos, indiscriminadamente, criando um grande tumulto.

Várias pessoas ficaram feridas e dois estudantes foram levados para o hospital em ambulância do Corpo de Bombeiros, com suspeitas de fraturas nas pernas e nas costelas. O professor Roberto Simões, diretor do Sepe (Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação) e da CUT/RJ foi preso e levado para a 9a DP. No ato da prisão, Roberto estava sozinho, tomando conta do carro de som, já que a maioria dos manifestantes havia se afastado, na tentativa de evitar a prisão do aluno. Policiais invadiram o carro, cortaram o som e prenderam o dirigente sindical, levando-o à força para dentro do Palácio Guanabara e, de lá, para a 9a DP.

Tudo aconteceu quando uma comissão do Sepe já estava sendo recebida no Palácio Guanabara, em negociação. “Não havia necessidade disso. Cabia mais uma ação educativa por parte da polícia do que essa atitude de repressão” – protestou a professora Marize de Oliveira Pinto, dirigente do Sepe e da CUT.

A manifestação liderada pelo Sindicato era em protesto contra a falta de professores na rede estadual de ensino e contra a política de redução de turmas desenvolvida pela Secretaria Estadual de Educação.

Fonte: CUT/RJ