Plenária Nacional faz balanço da greve e da Campanha Salarial 2015


A tarde do segundo dia da Plenária Nacional da Fenajufe foi tomada por todo tipo de manifestação por conta dos debates em torno da avaliação da greve e da Campanha Salarial de 2015. Após um breve relato sobre a construção do movimento feito pelos coordenadores  Tarcísio Ferreira e Cledo Vieira, veio do plenário a sinalização dos caminhos que serão seguidos pela categoria a partir de agora.

Sobre a greve, os delegados foram unânimes ao tratá-la como a maior da história da categoria. Construída como um movimento de caráter nacional e com uma pauta unitária, ela foi o instrumento pelo qual os servidores do Judiciário federal apresentaram sua pauta de reivindicações.

Um dos indicativos mais fortes presente nas intervenções dos delegados é a necessidade do fortalecimento da mobilização na campanha salarial de 2015, principalmente em torno da luta pela derrubada do veto ao PLC 28. Mais uma vez Brasília foi citada como símbolo da resistência da categoria, por estar há 139 dias em greve.

Também não faltaram críticas ao governo e ao presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski. O primeiro apontado como patrocinador do longo período sem reposição salarial, vivido pelos servidores há nove anos. O segundo, acusado de ter dado as costas aos servidores ao abandonar a pauta de reivindicações da categoria e aderir à do ajuste fiscal do governo. A posição da Fenajufe, reiterada em diversas instâncias, sempre foi por manter abertos todos os canais de interlocução, posição reforçada por diversas vezes nas reuniões do Comando Nacional de Greve.

2648

Polêmica também quanto ao PL 2648/2015. Negociado entre governo e Judiciário Federal, o projeto não conta com o apoio da categoria, cada vez mais decidida pela luta de derrubada do veto 26. Enquanto grande parte dos delegados defende que a Fenajufe continue construindo pontes com o Supremo para uma futura proposta de melhoria do projeto, outra parte condena e prefere “aumento zero”, referência a cenário onde o veto é mantido e o 2648 retirado de pauta.

da Fenajufe, Luciano Beregeno

Fotos: Joana Darc Melo/Fenajufe