Paralisação na semana passada fortalece proposta de greve


A luta pela aprovação do PCS do Judiciário teve um grande salto nas últimas semanas, crescendo em nível nacional, com a adesão em massa da categoria. Sem dúvida alguma, a paralisação de 48 horas nos dias 26 e 27 foi o momento mais intenso e forte da campanha nacional dos servidores do Judiciário Federal e do MPU. A greve atingiu vários estados e a categoria se mostrou disposta a continuar no movimento para garantir a aprovação do novo Plano. A luta não pode parar e deve se fortalecer ainda mais nesta semana. A paralisação da semana passada apontou que é possível trazer os trabalhadores para o enfrentamento, pois vários estados que ainda não haviam parado antes tiveram uma boa participação na greve.
A avaliação de todos os sindicatos que conseguiram fazer a paralisação, de 48 horas ou parcial, é que a adesão foi muito boa, com alguns locais de trabalho atingindo quase todos os setores. A partir das mobilizações e do retorno da categoria, durante os debates em cada órgão, os sindicatos acreditam que é possível fortalecer a luta para aprovar o PCS na próxima semana. No geral, os servidores foram bem receptivos às explicações das lideranças sindicais e convencidos de que somente com uma mobilização intensa será possível conseguir mais essa vitória. Dessa vez não será diferente dos PCSs anteriores, que só foram conquistados a partir da luta.

Fizeram paralisação trabalhadores da base dos seguintes sindicatos: Sindjus/DF, Sisejufe/RJ, Sintrajufe/RS, Sintrajusc/SC, Sintrajud/SP, Sindiquinze/SP, Sindjuf/PB, Sintrajuf/PE, Sindjufe/BA, Sindjuf/PA-AP, Sinpojufes/ES, Sitraam/AM, Sitraemg/MG, Sintrajufe/PI, Sinjufego/GO, Sindjuf/TO e Sindijufe/MT. Em outros estados, o sindicato realizou atos públicos e distribui material explicando a importância da aprovação do PCS, como aconteceu em Alagoas [Sindjus/AL], Rio Grande do Norte [Sintrajurn] e Paraná [Comando de Luta Estadual e Unificado do Judiciário Federal do Paraná].

Confira quadro atualizado dos estados que fizeram mobilização

Sindjus/DF: Depois de forte mobilização de 48 horas, os servidores do Judiciário Federal no Distrito Federal decidiram fazer nova paralisação na próxima quarta-feira [03/05], com a participação de toda a categoria na sessão da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara, programada para se realizar às 10h, no plenário 4, do anexo II da Câmara dos Deputados. À tarde, nova assembléia avaliará a situação do projeto e definirá os rumos do movimento, discutindo o indicativo de greve por tempo indeterminado a partir do dia 04.

Sisejufe/RJ: Os servidores do Judiciário Federal no Rio de Janeiro vão parar novamente no dia 3 de maio, para pressionar pela inclusão e votação do PL 5845/05 na Comissão de Finanças e Tributação e acompanhar a reunião do Comando Nacional de Mobilização em Brasília. No dia 3 de maio, na JF Rio Branco e JF Venezuela, haverá greve de 24 horas; no TRE sede, terá paralisação das 15h às 17h; no TRF, será realizada paralisação de 12h às 14h; e no TRT, acontecerá assembléia com hora a ser definida. Em todos os fóruns haverá assembléia de avaliação que deverá seguir o indicativo do Comando Nacional de Greve.

Sintrajufe/RS: Em assembléia geral realizada nesta quinta-feira [27], a categoria aprovou estado de greve para os servidores do Judiciário Federal no Rio Grande do Sul, já a partir de ontem. Também foi aprovada nova paralisação de 24 horas para o dia 3 de maio, com realização de assembléia geral estadual para avaliar o movimento e o indicativo de greve por tempo indeterminado, a partir do dia 4 de maio. Ainda será enviada para Brasília, na próxima semana, uma delegação formada por 15 trabalhadores para atuar no Congresso Nacional pela aprovação do PCS.

Sintrajud/SP: Após paralisação de 48 horas, a categoria em São Paulo aprovou realizar greve por tempo indeterminado a partir do dia 3 de maio. No dia 4, haverá uma nova assembléia de avaliação do movimento, tendo em vista que no próprio dia 3 acontecerá uma reunião do Comando Nacional de Mobilização em Brasília, para definir os rumos do movimento.

Sindiquinze/SP: Os servidores do TRT da 15ª Região, em Campinas/SP, decidiram nesta quinta-feira, 27 de abril, em assembléia, enviar uma caravana a Brasília, no dia 3 de maio. O objetivo é se juntar aos servidores do Judiciário Federal de todo o país, para pressionar pela rápida aprovação do PCS. Neste dia, o projeto deverá entrar na pauta na CFT.

Sindjuf/PB: O Sindjuf/PB considerou muito positiva a mobilização na Paraíba, onde conseguiu mobilizar mais de 1200 servidores das três justiças federais: TRT, TRE e Justiça Federal, incluindo as varas e zonas do interior. Cinco diretores do sindicato virão a Brasília na próxima semana para acompanhar a evolução das negociações no Congresso.

Sintrajuf/PE: Os trabalhadores do Judiciário Federal em Pernambuco voltaram ao trabalho hoje, mas na próxima quinta-feira, 4 de maio, o Sintrajuf/PE realiza nova assembléia, às 13h30, para discutir o indicativo de greve por tempo indeterminado.

Sindjufe/BA: A greve de 48 horas pela aprovação do novo Plano de Cargos e Salários da categoria baiana teve adesão de quase 100%. Na capital, todas as varas, secretarias e protocolos pararam, só tendo expediente parcial na segunda instância da Justiça do Trabalho. Dos 32 municípios do interior onde há fórum trabalhista, apenas quatro funcionaram. Na Justiça Federal, a paralisação desta quarta-feira foi parcial, das 13 às 15h, em Salvador; e ontem a categoria paralisou novamente os trabalhos. Em Feira de Santana, os servidores da JF também paralisaram por duas horas e realizaram um ato público. Na Justiça Eleitoral, em Salvador a adesão foi boa. No interior, algumas zonas eleitorais aderiram à paralisação.

Sindjuf/PA-AP: Mais de 80% dos servidores do TRE do Pará, mais de 150 servidores do TRT da 8ª Região e 90% dos servidores da vara trabalhista de Macapá [AP] paralisaram suas atividades numa ampla mobilização nos dois Estados. Pelo interior paralisaram completamente as atividades as varas trabalhistas nos municípios de Altamira, Ananindeua, Conceição do Araguaia, Itaituba, Marabá e Santarém. Paralisaram parcialmente as varas de Capanema e Parauapebas.

Sinpojufes/ES: De acordo com informações do Sinpojufes, a mobilização realizada na quarta-feira, de 12h às 14h, foi mais forte no TRE e na Justiça do Trabalho. A paralisação também atingiu a Justiça Federal.

Sitraam/AM: Os servidores da Justiça do Trabalho no Amazonas realizaram greve de 48 horas para pressionar o Congresso Nacional a agilizar a aprovar o PCS. A categoria deverá realizar assembléias, na próxima semana para avaliar o movimento e discutir o indicativo de greve nacional.

Sitraemg/MG: Nesta quinta-feira, dia 27 de abril, cerca de 500 servidores do Judiciário Federal em Minas Gerais se concentraram em frente à Justiça Federal e seguiram em passeata até o TRE. Hoje, às 19h, na sede do sindicato, os trabalhadores realizarão assembléia para discutir indicativo de greve nacional, formar delegação para vir para Brasília na próxima sessão da CFT, agendada para dia 3 de maio, e eleger delegados para participar da Plenária Nacional da Fenajufe.

Sintrajufe/PI: Os servidores do Judiciário Federal no Piauí estiveram mobilizados ontem [27] em Teresina, durante toda a manhã, onde continuaram protestando contra o atraso na tramitação do PCS da categoria. Durante a mobilização, os servidores discutiram as últimas informações sobre o Plano de Cargos e Salários e deliberaram que o Sintrajufe/PI mandará representantes à Brasília no dia 3 de maio, com o objetivo de ajudar nas mobilizações para que o PL 5845/05 seja aprovado na CFT.

Sinjufego/GO: Os trabalhadores do Judiciário Federal em Goiás realizaram paralisação de duas horas em defesa da aprovação do PL 5845. Nesta quinta-feira [27], os servidores realizaram um ato público em frente ao prédio do TRE/GO, com a participação dos servidores dos três órgãos para chamar atenção dos parlamentares, Supremo Tribunal Federal, do governo federal e da imprensa sobre a importância da aprovação do Plano.

Sindjufe/MT: Com boa participação da categoria na paralisação pela aprovação do PCS, os servidores do Judiciário Federal em Mato Grosso participarão de rodada de assembléias extraordinária no dia 3 de maio. Nos encontros, a categoria vai avaliar as manifestações pelo PCS e discutir o indicativo de greve por tempo indeterminado. As assembléias serão realizadas na Justiça do Trabalho, na Justiça Federal e na Justiça Eleitoral, todas às 16h.

Sindjuf/TO: Os servidores do Judiciário Federal do Tocantins realizaram uma paralisação de uma hora, no horário das 14 às 15h, no dia 27, com manifestação em frente ao edifício sede do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins. Nesta sexta-feira, 28 de abril, teve também paralisação de uma hora, com manifestação em frente ao prédio da Justiça Federal.

Paraná [Coleujufe]: No Paraná, a mobilização aconteceu na Justiça do Trabalho e na Justiça Federal, promovida pelo Comando de Luta Estadual e Unificado do Judiciário Federal do Paraná [Coleujufe]. Na JT, os comando mobilizou a categoria, ontem e hoje [27 e 28], com entrega de adesivos e panfletos e a fixação de cartazes e faixas em todos as salas de trabalho, para explicar a importância da luta pela aprovação do PCS. Na Justiça Federal, a categoria conseguiu parar os trabalhos ontem e hoje, na capital e em várias cidades do interior. O Coleujufe vai continuar as mobilizações na próxima semana e acompanhar o calendário definido pela Fenajufe.

Sintrajurn/RN: Os trabalhadores do Judiciário no Rio Grande do Norte optaram por fazer atos nos órgãos para marcar o calendário de mobilização pela aprovação do PCS da categoria. Na quarta-feira [26], às 11h, o Sintrajurn promoveu uma manifestação no TRT, com a participação de vários servidores da Justiça do Trabalho. Às 12h, a categoria se reuniu no prédio da Justiça Federal. No TRE, a manifestação teve início às 14h.

Sindjus/AL: Os servidores do Judiciário e do MPU se reuniram em assembléia geral, nesta quinta-feira, dia 27, na sede do Sindjus/AL para discutir o processo de paralisação nacional. Na assembléia, foi aprovada a realização de assembléias setoriais com indicativo de greve, na próxima quinta-feira, dia 04 de maio, em frente aos tribunais [TRE, TRT, Justiça Federal] e na Procuradoria Regional do Trabalho. O sindicato vai enviar três representantes na próxima quarta-feira [03] para acompanhar as atividades de pressão aqui em Brasília.

Da redação – Leonor Costa