Plenária reafirma: PCS só com greve!


Assembléias setoriais na terça-feira, 2

Justiça Eleitoral, às 12 horas
Justiça Federal, às 17 horas

Quarta-feira, 3, tem assembléia estadual unificada às 17 horas, em frente ao TRT

Mobilizar o maior número de servidores do Judiciário Federal para fortalecer a greve pelo PCS foi a principal decisão da Plenária Estadual do PCS, que aconteceu neste sábado, 29, em Florianópolis. Assembléia no final da plenária debateu a necessidade de aumentar a mobilização no interior e elegeu delegados para participar da Plenária Nacional da Fenajufe, que acontece de 19 a 21 de maio, em Natal/RN. Uma chapa de consenso foi eleita.
O coordenador do Sintrajusc, Robak Barros, lembrou uma das preocupações mais repetidas pelos participantes do encontro: a batalha pelo PCS está longe do final, é dura e vai necessitar da participação de um maior número de servidores, sob pena de não conquistarmos o nosso objetivo. Robak recordou as palavras do assessor parlamentar do Diap, Antonio Queiroz, que participou do encontro durante a tarde, segundo o qual, independente do governo eleito, a situação não será fácil para os servidores do Judiciário Federal nos anos que vêm pela frente, em termos de reajuste salarial. Portanto, mais do que nunca, é preciso a participação de todos os servidores. Quem quer PCS, tem de vir para a luta!
No final da plenária, o coordenador da Fenajufe, Ramiro Lopes, desafiou os servidores a repetirem o mesmo empenho de lutas anteriores, como forma de arrancar do governo a aprovação do PCS. A desculpa de falta de recursos no Orçamento não cola, diz ele, em função dos números apresentados durante a plenária, segundo os quais há sobra suficiente para custear o PCS.
Servidores do interior participaram da plenária, prestando informes sobre a mobilização em seus locais de trabalho durante os dois dias de paralisação e a participação na greve pela aprovação do PCS. A partir da semana que vem, intensa mobilização no Estado e no País vai preparar a greve, que será votada na assembléia estadual de quarta-feira, 3, com o objetivo de pressionar a entrada em pauta do parecer sobre o PCS na Comissão de Tributação e Finanças, da Câmara dos Deputados.

União tem recursos para PCS

Pela manhã, o assessor econômico do Sintrajusc, Washington Moura, fez um balanço da situação do Orçamento da União, mostrando que há dinheiro para pagar o PCS. Segundo Washington, se o governo federal não priorizasse o pagamento de juros e encargos da dívida pública, sobraria dinheiro para isto. À tarde, o assessor parlamentar do Diap, Antônio Queiroz, analisou a situação da tramitação do PCS no Congresso e apontou alguns caminhos para a luta política pela aprovação do PCS. De positivo, destacou que a aprovação do PCS depende em grande parte do poder de mobilização dos servidores. “A estratégia utilizada pela Fenajufe e pelos sindicatos até agora foi correta. Este é o momento certo de mostrar força e colocar os servidores na luta. Só assim se arranca a negociação e o projeto anda no Congresso”, afirmou.