Para perdas históricas dos servidores públicos, governo acena com política de reajustes diferenciados e reposição da inflação


O Ministério do Planejamento garante que em 2006 será mantida a política de reajustes diferenciados para os servidores públicos federais. O argumento do governo é que não deixará a categoria sem recomposição do poder de compra dos salários. O problema é que, quando o governo fala em recuperação do poder de compra, refere-se à reposição da inflação, ignorando completamente as perdas dos servidores que se acumulam há mais de uma década. Além disso, nem cogita de reajuste linear para os servidores.
Depois dos 0,01%, 0,1% e outras migalhas de anos anteriores, o governo acena com a reposição de 30% da inflação para o período 2003/2006, de acordo com estimativa da inflação acumulada medida pelo IPCA. Reposição da inflação, é bom insistir.
Para este ano, os servidores já começam a se mobilizar. No caso específico dos servidores do Judiciário Federal, continua a luta apelo PCS, que deve redundar em medidas mais duras contra o governo já neste início de ano. Mas também há a batalha pela recuperação dos salários, através de reajuste salarial que beneficie a todos os servidores públicos federais.