Oficinas do Sinergia abertas à comunidade


Depois de alguns anos o Sinergia retoma um projeto que marcou a trajetória da ação cultural da entidade. No mês de julho inicia o ciclo 2009 das oficinas. Serão 5 oficinas abertas à participação dos associados e familiares, bem como aos demais eletricitários e comunidade.
Nos últimos 19 anos o Sinergia mantém a ação cultural incorporada à sua luta em defesa da classe trabalhadora e pela transformação da sociedade. A partir da ação cultural o sindicato busca estabelecer um diálogo mais envolvente, dentro e fora dos locais de trabalho.
Nesse sentido, temos o imenso prazer de abrir as inscrições para mais um ciclo das oficinas do Sinergia. A oficina é um espaço de criação e convivência, de exercício da imaginação. Todos são capazes de criar, de lidar com arte, com a criatividade – a arte não é um dom de iluminados!
Este ano serão realizadas as oficinas de Fotografia, Redação, Vídeo, Teatro e HQ (história em quadrinhos). As inscrições são realizadas pelo telefone 48 3879-3011, com Julia ou Detinha, a partir do dia 1º de junho até dia 26. Os associados/as e dependentes são isentos da taxa de inscrição (R$ 50,00).
O resultado das oficinas será divulgado em exposições nos locais de trabalho, no jornal Linha Viva, no Site do Sinergia e na programação da TV Floripa.

Confira as informações sobre cada uma das oficinas:

 
FOTOGRAFIA
Oficineiro: Júlio Pavese. Material: câmera fotográfica, de preferência digital. Tempo: 12 horas. Local: auditório do Sinergia. Início: 07/07 (terça-feira). Hora: 18h30 – 20h30.
Objetivo: estimular o interesse pela fotografia ensinando técnicas básicas para sua prática. Abordar a história da fotografia, princípios óticos, mecânicos, químicos e eletrônicos da fotografia analógica e digital. As máquinas e suas objetivas; laboratório, revelação e cópia; tratamento da foto digital; técnicas e operação de câmera analógica ou digital.
Metodologia:Aulas teóricas: 1-Uma breve história da fotografia. Da sua invenção aos tempos atuais. 2- Princípios óticos, mecânicos, químicos e eletrônicos da fotografia “analógica” e digital. As máquinas e suas objetivas; o laboratório e seus processos de revelação do negativo e cópia em papel; o tratamento da foto digital; os filmes e os cartões digitais. 3- As técnicas de exposição, composição e enquadramento.Aulas práticas: 1-Como operar uma câmera analógica ou digital. 2-Como produzir uma foto analógica ou digital. A exposição, o enquadramento, composição e edição. 3-Exercícios de “campo”. 4-Discussão em grupo sobre os trabalhos (fotos) realizados. 5- Eleição das cinco melhores fotos pelos participantes do curso. 5- Exposição das melhores fotos de todos os alunos em cópias em papel tamanho 24×36cms no Sinergia e hall das empresas representadas pelo sindicato.

REDAÇÃO
Oficineira: Elaine Tavares. Material: a imaginação e o pensamento. Tempo: 12 horas. Local: auditório do Sinergia. Início: 08/07 (quarta-feira). Hora: 19h – 21h.
Objetivo: oferecer instrumentos para a aventura do pensar, exercícios e técnicas de assombramento, técnicas e regras de redação. Tudo isso visando à produção de textos para a vida.
Estrutura da oficina: 1º encontro: Assombramento – o pensar (o que é pensar, como pensamos, o que é o exercício do pensar). Enumerar o pensamento – sobre o que estamos pensando, que situações ou coisas estão ligadas ao assunto. 2º e 3º encontros: Técnicas e regras de redação. Produção de textos e correções. 4º encontro: Dicas finais.

VÍDEO
Oficineiros: Silvio Smaniotto, Monique Souza e Pepe Pereira. Material: imaginação, filmadora ou câmera fotográfica digital. Tempo: 33 horas. Local: TV Floripa. Início: 08/07 (quarta-feira). Hora: 18h30 – 21h30
Objetivo: capacitação em vídeo produção através de exercícios teóricos e práticos abordando: planos, roteiro, pré-produção, decupagem, gravação, pós-produção, edição, manuseio da câmera, gravação, saída a campo para gravação.
Metodologia:Estudo teórico: planos, roteiro, pré-produção, decupagem, gravação, pós-produção, edição.Exercícios práticos: manuseio da câmera, gravação, saída a campo para gravação, captura e edição básica, produção de programetes de um minuto cada, para veiculação na TV Floripa.
A TV Floripa colocará à disposição estúdio para os encontros, quatro filmadoras miniDV, 01 estação de edição não linear para a finalização dos programetes. A TV Floripa fica na rua Visconde de Ouro Preto, número 308, no centro de Florianópolis. Os participantes que usarem filmadora MiniDV devem trazer 1 fita.
Silvio Smaniotto – sócio-fundador e primeiro operador da TV Floripa. Radialista e Jornalista. Atualmente é coordenador operacional da TV e também editor, cinegrafista, suíter.Pepe Pereira – diretor cinematográfico e videomaker. Atuou como jornalista, repórter cinematográfico, diretor de documentários. Realiza trabalhos de audiovisual com diversos movimentos sociais e atualmente é produtor independente e na TV Floripa trabalha como repórter cinematográfico.Monique de Souza – cursa História pela UFSC, realizou alguns trabalhos filmagem e fotografia através da Cia de Cultura e atualmente colabora como voluntária na TV Floripa.

TEATRO
Oficineiro: Révero Ribeiro. Material: a imaginação. Tempo: 20 horas. Local: auditório do Sinergia. Início: 09/07 (quinta-feira). Hora: 18h30 – 21h30.
Objetivos: reforçar a percepção, levando a um comportamento de ação e reação diante dos sentidos para um reconhecimento de si, do outro e do mundo. Criar dinâmicas individuais e de grupo que resgatem a memória sensível e afetiva. Perceber e sentir o corpo e suas partes, identificar limites e possibilidades, visando à expressão corporal como elemento teatral. Pesquisar, conhecer e utilizar os elementos essenciais ao teatro. Carga horária: 20 horasMetodologiaA oficina será conduzida através de atividades práticas individuais e de grupo, em distintos momentos: 1. Organização do espaço para a atividade e conversa sobre o que será realizado; 2. Aquecimentos; 3. Atividade central do dia, principal momento para o desenvolvimento da temática e/ou técnica; 4. Fechamento e avaliação sobre a atividade.
Conteúdo1. Estrutura da representação cênica: a.Elementos básicos do teatro: tempo-espaço-ação; b.Relação ator-público; c.Elementos complementares da linguagem cênica: música e dança popular.2. Treinamento do ator: a. Aquecimento corporal; b. Jogos teatrais e jogos dramáticos; c. Gestualidade e oralidade.
Révero Ribeiro, ator, encenador, fundador do Teatro Jabuti onde desenvolve uma pesquisa de teatro popular, bonecos e comicidade. Integrado ao trabalho de encenação, participa de projetos de teatro educação junto a grupos de educadores e educadoras; crianças e adolescentes e também em cursos de Educação de Jovens e Adultos. Comunicador da Rádio Campeche, participa dos programas “Coisarada” e “Vozes em Movimento”.

HQ – História em Quadrinhos
Oficineiro: Diego de los Campos. Material: imaginação, bloco de folhas A4, lápis HB, 2B e 6B, caneta nanquim descartável 0.8 e 0.5, borracha macia. Tempo: 36 horas. Local: auditório do Sinergia. Início: 10/07 (sexta-feira). Hora: 18h30 – 21h30.
Objetivos: introduzir o aluno no processo criativo da história em quadrinhos, dar as noções básicas das ferramentas utilizadas e das técnicas tradicionais de desenho para a elaboração de uma história original, com estilo e conteúdo próprios.
ConteúdoAbordagem dos conteúdos: criação de roteiro, formatação, mito de Herói, a jornada mítica; Personagem: corpo humano, proporções naturais, proporções distorcidas, expressões faciais, movimento; Background: perspectiva 1, 2, 3 e 4, pontos de fuga, composição de cenário, tipos de plano ou enquadramentos; Roteiro: criação, adaptação; Técnicas: lápis, arte finalização, caneta nanquim, bico de pena, pincel, diferentes tipos de traços. Coloração: aquarela, guache, acrílica; Inicialização na digitalização: uso do scanner e coloração digital. Criação de revista com os HQs produzidos na oficina.
Os participantes devem ter mais de 12 anos de idade.
Diego de los Campos é formado em artes plásticas pela Universidade da República do Uruguai. Desde 1993 participa de exposições de pintura, escultura e desenho. Nas suas criações e principalmente nas suas historias em quadrinhos tenta imprimir um humor inteligente produto de uma reflexão crítica do absurdo mundo em que vivemos.