Nota de repúdio à declaração do ministro Paulo Guedes


O SINTRAJUSC repudia veementemente a declaração do ministro da Economia, Paulo Guedes, em evento da Fundação Getúlio Vargas (FGV). “O hospedeiro está morrendo, o cara (servidor público) virou um parasita. O dinheiro não chega no povo e ele quer aumento automático”, disse ele.

Com toda a carreira vinculada ao mercado financeiro, Guedes ataca os servidores públicos reiteradamente. Tenta enganar a população criando uma falsa oposição entre os interesses de trabalhadores dos setores público e privado, sem dizer que, se os funcionários públicos são demitidos ou desvalorizados, os trabalhadores da iniciativa privada perdem o acesso a serviços essenciais.

É com esse sentido que o governo tenta aprovar o “Plano Mais Brasil”, composto por três propostas de Emenda à Constituição e que inclui, entre outros ataques ao serviço público, a redução dos salários dos servidores em até 25% (com redução proporcional da jornada). O Plano proíbe, ainda, a progressão e reestruturação de carreiras, além de suspender a criação de verbas indenizatórias e de despesas obrigatórias. Acaba, também, com os investimentos mínimos em saúde e educação, criando um “mínimo conjunto”.

A forma de combater essa lógica é a luta unitária da classe trabalhadora. Por isso, em 18 de março, acontece um dia nacional de mobilizações e greves em defesa do serviço público e das estatais. A data foi chamada pelas centrais sindicais e, no Judiciário, pela Fenajufe.

O SINTRAJUSC fará Assembleia dia 13 de fevereiro, às 13 horas, na rampa do TRT, para debater a adesão à paralisação e a participação nas atividades de mobilização que ocorrem neste dia.

Diante da declaração de Guedes, a Fenajufe também está estudando medidas jurídicas por assédio institucional.

Parasita é quem destrói os serviços públicos e tira direitos dos trabalhadores!

#parasitaépauloguedes

Com informações do Sintrajufe, Sintrajud  e Fenajufe