Ministro diz que morte de trabalhadores rurais em Minas não ficará impune


Por Imprensa

Segundo informações da Agência Brasil, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto, disse agora à tarde que o governo está empenhado em identificar os responsáveis pela morte de cinco trabalhadores rurais em Felisburgo (MG), no Vale do Jequitinhonha, no último sábado. “Aqui não haverá impunidade. Haverá punição aos criminosos”, garantiu o ministro.

Para Rosseto, esse foi um crime bárbaro. “É uma violência inaceitável. Estamos falando de brasileiros, cidadãos e cidadãs, que estavam na área com autorização judicial e foram vítimas de um ato absolutamente inaceitável”, ressaltou.

O presidente da Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Manoel dos Santos, também recriminou o episódio. “É um massacre e representa a truculência e a violência do latifúndio. Representa ainda a necessidade imediata de ação conjunta dos governos federal e estadual, além das polícias, para que os responsáveis sejam punidos”, afirmou.

O ministro e o sindicalista participam, agora à tarde, da abertura da Conferência Nacional Terra e Água, que começou há pouco, no ginásio Nilson Nelson, reunindo cerca de 10 mil pequenos agricultores, trabalhadores rurais sem terra, quilombolas, representantes de comunidades indígenas e de atingidos por barragens.

Fonte: Agência Brasil