Metalúrgicos do ABC fazem mobilizações nas fábricas a partir de hoje


Por Marcela Cornelli

Os metalúrgicos do ABC iniciam nesta terça-feira (14/10), uma série de mobilizações nas autopeças da região, parando a produção por, no mínimo, duas horas cada fábrica.

Na quinta-feira, tem ato conjunto dos trabalhadores das autopeças de Diadema e São Bernardo. Também na quinta-feira, tem manifestação e paralisação de pelo menos duas horas na Volks. Na sexta-feira, tem atos de protesto na Mercedes-Benz, Scania e Ford. E no dia 24/10, às 18 horas, os metalúrgicos realizam outra assembléia geral na sede do Sindicato São Bernardo do Campo.

Histórico – Até a semana passada, a categoria, que reúne 95 mil metalúrgicos no ABC (40 mil deles nas autopeças), estava apenas realizando assembléias nas fábricas e tinha parado de fazer hora extra, tanto nas autopeças quanto nas Montadoras.

No dia 10/10, quando foram informados pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopez Feijóo, de que os sindicatos patronais nada responderam sobre a pauta de reivindicações e que alguns deles estão até desmarcando reuniões com os sindicalistas, os trabalhadores decidiram intensificar a luta pela campanha salarial.

Na assembléia da última sexta-feira (10/10), foi decidido também que o prazo limite para terminar a negociação da campanha salarial deste ano é 24 de outubro, depois disso, se nada estiver definido, os metalúrgicos da região podem fazer uma greve geral.

Pauta de Reivindicações:
• 20% de reajuste, incluindo aumento real.
• Redução da jornada de trabalho das atuais 44 horas para 40 horas, sem diminuição dos salários
• Participação nos lucros das empresas
• Criação de 2 milhões de empregos
• Redução na taxa básica de juros (hoje em 22% ao ano)
• Correção anual da tabela do Imposto de Renda
. Antecipação da data base – A campanha unificada com a Força Sindical fará mobilização conjunta reivindicando a antecipação da data-base (unificada) para outubro este ano e para setembro em 2004. A data-base dos metalúrgicos do ABC é 1º de novembro.

Fonte: CUT Nacional